Segurança Cibernética

Últimos dias para atualizar gratuitamente para o Windows 10 | Avast

Lisandro Carmona de Souza, 11 Dezembro 2019

Fim do suporte ao Windows 7 vai aumentar os riscos de segurança de computadores de muitas empresas e usuários domésticos

Após mais de dez anos sendo o queridinho, no próximo dia 14 de janeiro, termina o suporte ao Windows 7, isto é, ele não vai mais receber atualizações de segurança. Atualmente, estima-se* que o Windows 10 rode em quase 50% dos computadores, o Windows 7 em mais de 30% dos computadores, enquanto o Windows 8.1 quase desapareceu (4%).

windows10-laptop

Em dezembro de 2017, terminou o prazo oficial para atualizar gratuitamente as licenças legítimas do Windows 7 e do Windows 8.1 para o Windows 10. A licença digital está associada ao dispositivo específico e não tem prazo de validade. Mas foi descoberta uma brecha que parece estar funcionando em algumas partes do mundo. Verifique antes os requisitos mínimos:

  • Para a versão 32 bits, mínimo de 1GB de RAM e 16GB de espaço livre em disco
  • Para a versão 64 bits, mínimo de 2GB de RAM e 20GB de espaço livre em disco
  1. Faça backup dos seus arquivos
     
  2. No site oficial do Windows 10, clique em Baixar a ferramenta agora
     
  3. Execute o programa que foi baixado e aceite os Avisos e termos de licença aplicáveis
     
  4. Clique em Atualizar este computador agora e em Avançar. O processo pode demorar e depende da velocidade da sua conexão com a internet. Caso seja solicitada uma chave de produto, essa informação está em: Configurações > Atualização e segurança > Ativação.
     
    Se não estiver lá é porque você está usando uma cópia pirata do Windows e a atualização não será possível
     
  5. Selecione, se possível, Manter todos os aplicativos e arquivos e clique em Avançar
     
    Windows_Installation_PT
  1. Clique no botão Instalar (o processo pode demorar e o computador será reiniciado automaticamente algumas vezes)
     Windows_Installation_PT_2

Mesmo que você não migre para o Windows 10, não deixe de atualizar o seu Windows 7, pois como é uma versão mais antiga, está sujeita a falhas de segurança como a BlueKeep, que permite o controle remoto do computador sem que a vítima precise clicar ou instalar qualquer coisa. De qualquer forma, a Microsoft não vai impedir que os usuários utilizem o Windows 7.

Recentemente, tornou-se pública uma ferramenta ilegal* – chamada BypassESU – que habilita o suporte de segurança estendido (Extended Security Updates) do Windows 7 mesmo para aqueles que não pagaram por esse tipo de licença. Lembramos que é comum que cibercriminosos se aproveitem dessas situações para distribuir malware e efetuar ataques com a promessa de obter gratuitamente o que é um serviço pago da Microsoft.

Google acessa dados sigilosos de saúde de milhões de pessoas

Investigação do Wall Street Journal* mostrou como o Google teve acesso a dados de saúde de milhões de americanos: diagnósticos, resultados de testes de laboratório, registros de hospitalização e outros dados. Nem os médicos, nem os pacientes consentiram com essa coleta de dados extremamente sensíveis.

O Google afirmou que o projeto é legal e obedece à lei (HIPAA). Com a recente compra do FitBit (wereable), a comunidade teme a comercialização indiscriminada desses dados com hospitais, laboratórios e planos de saúde.

Instagram x TikTok

O Instagram lançou há algumas semanas uma ferramenta de vídeos para concorrer com o aplicativo TikTok. Para quem ainda não sabe, o TikTok é um aplicativo (gravação e edição) e uma rede social de compartilhamento de vídeos curtos.

A função Cenas (em inglês, Reels) permite a gravação de vídeos de até 15 segundos e funções básicas de edição e sincronização com efeitos sonoros. Não é a primeira vez que o Instagram copia a concorrência: o Stories – postagens com prazo de validade – foi criado com a inspiração do Snapchat.

12-Instagram-Reels-ScreenshotsPor enquanto, a função Cenas está disponível apenas no Brasil. Foto: MacMagazine

Antivírus bloqueiam (novamente) o uTorrent/BitTorrent

Muito ruído entre os que baixam arquivos por aplicativos P2P porque vários antivírus estão bloqueando o uTorrent e o BitTorrent. No caso do Avast, os aplicativos violam várias verificações de segurança por alterarem as configurações do sistema (navegador padrão), trazerem propaganda intrusiva e PUPs (programas potencialmente indesejados). São classificados como adwares.

Não é a primeira vez que isso acontece. Há alguns anos, esses aplicativos estavam distribuindo malwares e, mais recentemente, foram vendidos para uma empresa de mineração de criptomoedas*, a Tron. Muitos usuários sugerem o qBittorrent como alternativa, por ser gratuito, de código aberto, sem publicidade e multiplataforma (Windows, Linux, Mac OS x, FreeBSD e OS/2).


A Avast é líder global em segurança cibernética, protegendo centenas de milhões de usuários em todo o mundo. Saiba mais sobre os produtos que protegem sua vida digital em nosso site e receba todas as últimas notícias sobre como vencer as ameaças virtuais através do nosso Blog, no Facebook ou no Twitter.

* Original em inglês.

Tadas Sar