Dicas

Quer um navegador privado? Guia essencial para sua privacidade online

Monica Mateiu, 21 Março 2018

Você se preocupa com sua privacidade? Não? Pois deveria. O rastreamento online torna muito complicado manter a sua privacidade.

Além de abrir a porta a ransomwares, cavalos de Troia e ataques de phishing, os navegadores também entregam algumas das suas informações mais privadas, como: cartão de crédito, senhas, sites acessados, interesses pessoais, pesquisas e hábitos. Vamos falar mais sobre como corrigir esses problemas, mas a primeira coisa no que você deve pensar é conseguir um navegador privado, mesmo que isso signifique descartar aquele que você está usando no momento.

No final deste artigo, você saberá tudo sobre:

  • Navegadores: o que são, como funcionam
  • Cookies: quais são bons, quais são maus
  • Qual tipo de informações os sites rastreiam
  • Como a navegação privada realmente funciona
  • Como configurar o seu navegador para manter a sua privacidade

O que é um navegador de internet?

Um navegador de internet ou navegador web é o software que você usa para acessar seu email, sites favoritos ou qualquer coisa online. É um programa leve capaz de traduzir o código em que as páginas web são construídas, em texto, imagens, vídeos ou aplicativos web que as pessoas podem compreender e com os quais podem interagir.

Todo sistema operacional tem seu próprio navegador integrado, mas há dezenas de programas independentes disponíveis para baixar gratuitamente.

Os navegadores web mais populares são:

  • Google Chrome
  • Mozilla Firefox
  • Internet Explorer/Edge (Windows)
  • Safari (iOS)
  • Opera

browser-os-market-share.jpg

Fonte: https://www.w3counter.com/

A Google e a Mozilla têm projetos de navegador de código aberto, o que permite que os desenvolvedores criem seu próprio software, por isso, há muitas alternativas disponíveis. Até mesmo o Opera descartou seu mecanismo de renderização criado internamente para utilizar o Chromium da Google. O Comodo IceDragon e Waterfox são baseados no Firefox.

O que são os cookies?

A internet está repleta de mistérios e os cookies são provavelmente um dos mais confusos. Eles são programas ou arquivos? São bons ou são maus? Você deveria permitir que os sites os executassem ou deveria bloqueá-los?

Os cookies são arquivos de texto que contêm várias informações sobre o seu navegador, atividade na web ou computador. Eles não podem infectá-lo com vírus. De fato, eles não fazem nada. Eles simplesmente ficam em seu computador e armazenam detalhes que o seu navegador pode acessar rapidamente, como informações de login, sites visitados ou atividade na web. Isso nem sempre é ruim.

Como regra geral, os cookies existem para tornar o uso da internet o mais simples possível. Eles funcionam em segundo plano para ajudar lojas online a lembrar o que você adicionou ao carrinho de compras, eles salvam suas informações de login para que você não precise inseri-las sempre que abrir, por exemplo, o Facebook. Inofensivos!

Mas muitos deles também usam rastreadores que mapeiam onde você esteve e o que procurou, entregando informações privadas, como seus interesses e preferências, sintomas e preocupações, ou planos futuros, desde viajar até conseguir um novo emprego.

O mais importante é que todas essas informações podem ser usadas para enviar anúncios e mensagens de marketing a você. Por isso, se você se incomodar com o fato de que anunciantes e profissionais de marketing (ou o governo) podem estar reunindo informações sobre sua atividade online, você ficará interessado em saber mais sobre quais cookies são bons e quais são maus.

Tipos de cookies

  • Cookies de sessão (também conhecidos como cookies de memória ou cookies transientes) são arquivos temporários que ficam apenas em seu computador enquanto você está navegando na internet. Eles não armazenam nenhuma informação do usuário, mas permitem navegar em diferentes páginas de um site sem precisar fazer login a cada vez, ou então, ajudam o seu navegador a lembrar quais itens você adicionou ao carrinho de compras. Os cookies de sessão são excluídos assim que o navegador é fechado.

  • Cookies persistentes têm uma data específica ou duração de tempo limitada. Enquanto estão ativos, enviam informações sobre seus hábitos de navegação, permitindo que os publicitários rastreiem você (e é por isso que frequentemente são chamados de cookies de rastreamento). No entanto, eles também podem ser usados para mantê-lo conectado, para que não seja necessário inserir seu nome de usuário e senha em cada visita a um site.

  • Cookies de terceiros pertencem a outros domínios, diferentes daquele em que você está no momento. Eles são geralmente implantados por empresas ou organizações que compraram espaço de anúncios em um site e querem usar seus próprios métodos para servir anúncios direcionados a você. Cookies de terceiros explicam porque você vê anúncios dos mesmos produtos em todos os sites que acessa.

  • Cookies flash são armazenados localmente em seu computador, sem sua permissão explícita. É até possível que você nem saiba que eles existem! Você não pode controlá-los a partir das suas configurações de navegador e eles não são excluídos com seus cookies web normais, o que significa que permanecem em seu PC até que sejam manualmente removidos. Eles podem armazenar informações úteis, como seu progresso em um jogo, mas também podem ser usados para rastrear suas visitas ou revelar suas configurações.

  • Supercookies, permacookies ou cookies zumbis são trechos de código salvos em vários locais em seu computador, além dos cookies web salvos em seu navegador (mais comumente em seu diretório do Adobe Flash). Isso dificulta sua localização e eliminação e, mesmo que seu navegador esteja configurado para apagar cookies, ele não poderá apagar aqueles que estão armazenados em outras pastas. Além disso, cookies zumbi replicam seus cookies web após você excluí-los, para que você continue a ser rastreado até que tenha eliminado todos os zumbis.
disable-computer-cookies.jpg

Afinal de contas, quem está rastreando você?

Se você está em Portugal ou na União Europeia, provavelmente sabe que a maioria dos sites usa cookies, graças a chamada Lei dos Cookies, que exige que os sites obtenham consentimento dos visitantes antes de armazenar esses arquivos em seus dispositivos. Mas há milhões de usuários em todo o mundo que nem mesmo percebem que são rastreados.

Pesquisadores na Universidade de Washington descobriram que 75% dos sites mais populares do mundo usam ferramentas de rastreamento. Cada site usa dezenas de cookies próprios, além de vários rastreadores de terceiros que coletam constantemente informações sobre você. De fato, outro estudo publicado pela Mascherari Press descobriu que centenas de sites populares estão ligados a uma infraestrutura complexa, chamada de super-rodovia do rastreamento de informações, que permite que todos os rastreadores de terceiros acessem livremente imensas quantidades de dados ao longo dessa super-rodovia.

Prepare-se agora para se surpreender: há empresas que possuem uma média de 3.000 itens de dados sobre cada uma das 350 milhões de pessoas em seu banco de dados. O que eles sabem sobre você? Tudo, desde a sua localização, restaurantes favoritos, hábitos ou sites visitados, até dados mais pessoais, como informações médicas ou pontuação de crédito.

O que é sua impressão digital online

Cookies são uma maneira de rastrear sua atividade, mas graças à impressão digital online, os sites também podem identificar você. Como? Eles coletam informações sobre seu dispositivo, sistema operacional, fontes, resolução de tela, profundidade de cor, fuso horário, versão do navegador, plugins e outras configurações (inclusive, por exemplo, se você bloqueia cookies ou anúncios).

Além disso, as empresas de dados e publicidade por trás de cada site rastreiam suas atividades. Eles sabem quais artigos você lê e quais você pula, quais vídeos você assistiu e quais interrompeu após 3 segundos, quais emails promocionais você lê e quais você envia à sua pasta de lixo sem mesmo abrir, quais assuntos interessam a você, quais anúncios você odiou em silêncio, quais publicações do Facebook você curtiu, ou quais Tweets você retuitou.

Isso pode parecer inofensivo. Quem se importa se os publicitários sabem quais fontes você usa, certo? Errado. Quando reunidas, essas informações compõem sua impressão digital online, que permite que os sites o identifiquem e depois exibam anúncios feitos sob medida aos seus gostos e necessidades.

anti-tracking-anti-fingerprinting.jpg

Como impedir o rastreamento online

Desde excluir ou desativar cookies até trocar para um navegador privado, há muito que pode ser feito para reduzir a quantidade de informações pessoais que você divulga todos os dias. Vamos ver como é possível apagar os seus rastros online.

  1. Desative os cookies

Os sites precisam de cookies para funcionar e serem exibidos corretamente e isso torna a tarefa de se esconder dos seus publicitários muito mais complicada. Você poderia desativar cookies e Flash, mas navegar na web não será muito divertido se você tiver que entrar em cada conta, a cada visita, não puder fazer compras, pois nada foi salvo em seu carrinho de compras, não for possível ver animações ou se o seu navegador ficar travando.

A opção mais segura é desativar o rastreamento de terceiros e apagar regularmente os cookies. Isso fornecerá um nível maior de privacidade na internet, permitindo também comprar e navegar como de costume. Cookies são armazenados em seu navegador web, portanto, você precisa acessar suas configurações de privacidade e explorar as opções disponíveis, que podem variar de um navegador para outro.

Aqui estão as instruções para gerenciar as configurações de cookies e privacidade nos 5 navegadores mais populares:

  1. Use aplicativos ou plugins anti-rastreamento

Plugins, complementos ou extensões... Podemos dar nomes diferentes para eles, mas todos servem para a mesma coisa: melhorar a experiência de navegação. Esses softwares leves são instalados em seu navegador para adicionar novos recursos que os navegadores, em si, não podem executar.

Complementos de privacidade podem ser usados para bloquear cookies de rastreamento, scripts e anúncios online. Alguns deles funcionam em segundo plano, enquanto outros precisam ser ativados ou mesmo configurados para que possam funcionar. Alguns são gratuitos, outros são pagos, por isso, pesquise, verifique as avaliações, instruções e comentários dos usuários antes de instalar qualquer um deles.

Depois, existem softwares anti-rastreamento, como o Avast AntiTrack Premium, que permitem ver quem está rastreando você e bloqueá-lo, ocultar sua impressão digital online e obter controle total sobre seus navegadores, através de vários recursos e configurações de privacidade. Esses aplicativos geralmente instalam uma extensão em seu navegador, mas são controlados a partir do seu próprio painel.

  1. Obtenha um navegador privado

Configurar o seu navegador pode ser complicado e se você não sabe o que está fazendo, tudo o que acabará conseguindo é quebrar algumas páginas da internet. Instalar muitos complementos também não é uma boa ideia, pois pode deixar o seu computador muito lento.

A ascensão da tecnologia de rastreamento motivou os desenvolvedores a criar seus próprios navegadores com recursos de privacidade integrados e configurações que oferecem o controle de quais, com quem e como as informações são compartilhadas.

O Tor (The Onion Router) foi lançado em 2002 como uma das primeiras redes anônimas. O grupo por trás do Tor Project criou também um navegador que, em vez de se conectar a sites diretamente, passa por vários servidores operados por voluntários em todo o mundo, formando uma rede de túneis virtuais para ajudar a manter a privacidade da sua atividade.

O Tor vem com configurações de privacidade pré-configuradas, é portátil e pode ser executado até mesmo de um pen drive USB. Ele é completamente gratuito, disponível para Windows, Mac, Linux e Android. Ele oculta seu histórico, publicações online, mensagens instantâneas e toda a comunicação online. Embora seja mais lento que outros navegadores, ele é recomendado pelos ativistas de direitos humanos na internet e até mesmo jornalistas o utilizam para entrar em contato com fontes que precisam manter a confidencialidade de suas atividades e a sua localização, como delatores, por exemplo.

Mas há dezenas de navegadores privados por aí (embora, Tor, Epic e Comodo serem os mais populares), muitos deles criados sobre a mesma estrutura do Chrome ou Firefox.

  1. Use uma VPN (rede privada virtual)

As VPNs se apresentam como aplicativos autônomos ou extensões de navegador e podem ser gratuitas ou pagas. Além de proteger você em redes Wi-Fi públicas ao criptografar a sua conexão ou ajudar você a contornar bloqueios de conteúdo, permitindo alterar sua localização, elas também ocultam o seu endereço IP com eficácia, ocultando suas atividades do seu provedor de internet.

Por que você deveria se preocupar com isso? Porque o seu provedor de internet tem permissão (ou talvez a obrigação) de reunir e manter registros do seu histórico de navegação. Em alguns países, incluindo os EUA, eles podem até mesmo vender seus dados sem seu consentimento.

Embora uma VPN não evite que cookies sejam salvos em seu computador ou impeça que publicitários criem seu perfil, ela é uma ferramenta essencial para quem estiver preocupado com sua segurança e privacidade online. Saiba que alguns produtos grátis frequentemente trabalham contra você: eles podem ocultá-lo de cibercriminosos, do seu provedor de internet ou da vigilância do governo, mas também criar seus próprios perfis de dados ou abrir as portas a inúmeros riscos de segurança.

use-a-vpn.jpg

5. Modo de navegação privada

Modo Anônimo, Navegação Privada ou Janela de Privacidade: cada navegador tem um nome diferente para ela, mas o que ela faz para proteger a sua privacidade? A resposta curta é: não muito. Tudo que ela faz é ocultar as suas atividades das pessoas que usam o mesmo computador, evitando que o seu histórico seja salvo no disco rígido.

Suas pesquisas, páginas acessadas ou as informações inseridas ao fazer login ou preenchimento de formulários online não serão salvas. Seu histórico de downloads também não será salvo, mas seus arquivos permanecerão em seu computador até você fechar seu navegador. Para obter um nível extra de privacidade, o Firefox também oferece proteção contra rastreamento, enquanto o Opera permite o uso de uma VPN.

O recurso certamente é útil quando você está navegando em um computador público (em um lan house, cafeteria, shopping ou aeroporto), ao comprar presentes e não estragar a surpresa, ou quando quiser que o seu cônjuge não saiba o que você faz online.

No entanto, o modo de navegação privada não oferece privacidade completa, pois o seu provedor de internet, roteadores, firewalls e servidores proxy ainda poderão rastrear sua atividade. Se você acha que pode ocultá-la do seu empregador ou do governo, por exemplo, você está errado. Tenha em mente que as autoridades podem sempre solicitar acesso ao seu histórico online.

Esperamos que este artigo tenha ajudado você a compreender como os navegadores e cookies funcionam e, o mais importante, como impedir o rastreamento online invasivo. Por que não começar conferindo nosso novo aplicativo Avast AntiTrack Premium?