Dicas

O que o Papai Noel não te contou sobre brinquedos conectados (IoT) que você comprou para seus filhos?

Michael Healey, 28 Dezembro 2017

É melhor você ficar atento(a)! Saiba o que está por trás dos equipamentos eletrônicos que você comprou para seus filhos com nossas 6 dicas.

Em 2017, os brinquedos de Natal mais procurados ganharam um novo toque: estão conectados à internet. Por exemplo, o LEGO BOOST Creative Toolbox, um robô que permite personalizar o seu comportamento através de um aplicativo, e a FurReal Friends, uma coleção de animais de estimação robóticos que tentam imitar até a personalidade dos animais domésticos.

Mas por mais atraentes e divertidos que sejam esses brinquedos, há um problema: se a segurança não for levada a sério, existem riscos associados com todos os dispositivos conectados à internet. Eles podem ser controlados por cibercriminosos para rastrear, espiar ou mesmo se comunicar com uma criança. Essa é a má notícia.

A boa notícia é que essas ameaças podem ser atenuadas com alguns conselhos simples. Aqui estão seis dicas para manter você assumir o controle desses brinquedos conectados que se tornam cada vez mais comuns.

1. Saiba mais sobre o fabricante desses brinquedos

Além de pesquisar os melhores brinquedos e os melhores preços, dedique um pouco de tempo para saber quem é o fabricante. Se eles têm práticas de segurança questionáveis ou se já surgiram problemas no passado. Nesse caso, é melhor não comprar: o risco não vale a pena.

2. Depois de comprar, habilite as configurações de privacidade dos brinquedos

Se o fabricante passou pela regra número 1 e você decidiu dar as boas-vindas ao seu novo brinquedo conectado dentro da sua casa, verifique imediatamente as configurações de privacidade e envio de dados ou relatórios, exatamente como você faria com as redes sociais. Sente-se com seus filhos e vejam isso juntos: isso irá ajudá-los a entender por que existem essas configurações. Educá-los desde o início irá torná-los mais conscientes do que eles precisam fazer no futuro para se proteger.

3. Altere os nomes de usuário e/ou senhas padrão

Alguns brinquedos vêm com nomes de usuário e senhas padrão. É absolutamente essencial que, assim que você os traz para dentro de casa, você altere imediatamente essas informações. Crie senhas únicas e complexas que incluam números, letras maiúsculas e minúsculas, além de símbolos, mesmo que isso signifique que seu filho solicite a você a senha sempre que quiser usar o brinquedo: é um pequeno preço a ser pago em troca da segurança dos seus filhos.

4. Verifique se as suas conexões são seguras

Para funcionar adequadamente, alguns desses brinquedos conectados exigem uma rede Wi-Fi ou, em alguns casos, uma conexão Bluetooth controlada por um smartphone. É importante que essas conexões sejam seguras, especialmente se o brinquedo é capaz de gravar dados de localização. Para a conectividade Bluetooth, verifique se há uma etapa de verificação ao emparelhar o brinquedo. E antes de conectar o seu brinquedo ao Wi-Fi, use a ferramenta do Verificador de Wi-Fi para analisar os níveis de segurança da sua conexão. Se forem identificados problemas,  resolva-os imediatamente antes de se conectar.

Download Avast Free Antivirus

5. Verifique a segurança da sua rede doméstica

Mesmo que você conectar um brinquedo à sua própria rede Wi-Fi doméstica, ainda pode haver riscos. Certifique-se de que possua o roteador mais recente do seu provedor de banda larga e altere as senhas padrão imediatamente. Também vale a pena investir esse tempo para garantir a segurança do roteador, que é a porta de entrada de toda a sua rede.

6. Fale com seus filhos sobre segurança online

Crianças de todas as idades e todos os seus familiares sairiam ganhando com uma conversa sobre como usar brinquedos conectados sem pôr em risco a privacidade e a segurança. Sugerimos, novamente, que você execute a configuração de segurança junto com seus filhos e destaque a diferença entre o que é bom e o que não é bom para ser compartilhado. No início, talvez seja melhor deixá-los jogar apenas com a sua supervisão. Diga-lhes então o que eles podem jogar sozinhos, uma vez que você esteja convencido de ter compreendido os conceitos fundamentais de segurança e privacidade do dispositivo. Isso irá incentivá-los a adotar esses bons hábitos daqui para frente.