Dicas

Golpes por telefone estão em alta: saiba como se proteger

Nilton Kleina, 14 de Julho de 2021 6h0min0s CEST
Nilton Kleina, 14 de Julho de 2021 6h0min0s CEST

Crimes virtuais que começam com uma ligação de um falso funcionário ou operador telefônico levam a fraudes bancárias e roubo de dados

Estamos bastante acostumados a golpes bancários e roubos de informações que envolvem procedimentos complexos, seja por meio do envio de malwares em anexos de e-mail e mensageiros, seja por senhas obtidas por vazamentos de dados, seja pela instalação de aplicativos falsos.

Apesar disso, ainda estão sendo aplicados métodos considerados tradicionais, como os famosos golpes por telefone, que se tornaram ainda mais comuns durante a pandemia da covid-19.

Os riscos de uma simples ligação

Os golpes por telefone aproveitam-se da comunicação limitada por voz e de uma suposta autoridade de quem faz a ligação para levar a vítima a repassar dados importantes ou liberar acesso ao criminoso. Isso acontece sem a instalação de qualquer programa ou invasão a sistemas: é a mais pura arte de enganar pela conversa, a partir da chamada engenharia social.

Do outro lado da linha, a pessoa diz fazer parte de uma central telefônica de um serviço que você pode utilizar, como bancos, aplicativos, operadoras, clubes de compras ou instituições do governo, por exemplo. 

Ao citar alguns dados pessoais da vítima disponíveis em antigos vazamentos na internet ou que são encontrados publicamente, o golpista aumenta a própria credibilidade e vê as chances de sucesso aumentarem.

#53.1 Fonte: Shutterstock

Na chamada, a vítima pode ser instruída a repassar dados pessoais, informações bancárias ou até senhas, liberando acesso a perfis e ferramentas. Em alguns casos, o golpista pode até fazer o roubo e invasão da conta do WhatsApp ao solicitar o código SMS do mensageiro e burlar a autenticação por dois fatores. Tudo isso acontece sob um falso pretexto de assistência técnica, confirmação cadastral ou tira-dúvidas.

Esse tipo de golpe por telefone é também chamado de vishing — uma palavra que mistura "voz", que é o meio utilizado para a fraude, e o golpe de "phishing", o tradicional método de cibercrime que envolve cair em páginas falsas na internet e repassar dados por acidente.

Dados preocupantes

Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o registro de ocorrências de golpes de "falsas centrais telefônicas" e de criminosos que se passam por funcionários de empresas e prestadoras de serviço aumentou cerca de 340% entre janeiro e fevereiro de 2021 em comparação com o mesmo período do ano anterior.

O aumento não é justificado apenas pela pandemia, mas aproveita um período em que mais pessoas passam o dia em casa, inclusive durante o horário de aula ou trabalho, sem frequentar as unidades físicas de estabelecimentos, como bancos.

A mesma instituição ainda reconhece que a engenharia social é o método mais utilizado. Em 2020, por exemplo, 70% das fraudes bancárias foram aplicadas por meio de conversas que levam ao envio de informações pessoais, e idosos, que são normalmente mais vulneráveis a esse tipo de método, foram as vítimas mais frequentes.

Como se proteger?

Recentemente aprovada no Brasil, a Lei nº 14.155 alterou o Código Penal para aumentar as punições a quem realiza crimes por meios eletrônicos — o que inclui os telefonemas falsos. 

A partir de 2021, a condenação envolve um período de 4 a 8 anos de reclusão, aplicação de uma multa e possíveis agravantes caso o golpe seja feito contra idosos ou vulneráveis.

Apesar da cobertura da legislação, ainda é mais eficiente se prevenir e evitar virar uma vítima desses crimes. Por isso, vale lembrar algumas recomendações: 

  • Evite passar informações de segurança por telefone, como senhas, mesmo que o funcionário pareça de fato pertencer a uma empresa
     
  • Prefira sempre a utilização de sites seguros e aplicativos oficiais, para o caso de não conseguir comparecer presencialmente ao local

Apesar de ser um golpe por telefone, o vishing eventualmente envolve o download de malware e tentativas de acesso não autorizado a uma conta. Por isso, manter os seus cadastros seguros é importante.

O BreachGuard da Avast monitora vazamentos dos seus dados, além de reduzir as chances de venda dessas informações para terceiros, além de aconselhar o usuário sobre os melhores métodos de proteção. Conheça o serviço, veja as vantagens e amplie agora mesmo a sua segurança digital.


A Avast é líder global em segurança cibernética, protegendo centenas de milhões de usuários em todo o mundo. Saiba mais sobre os produtos que protegem sua vida digital em nosso site e receba todas as últimas notícias sobre como vencer as ameaças virtuais através do nosso Blog, no Facebook ou no Twitter.

* Original em inglês.