Dicas

Compartilhar dados pessoais para ter um café de graça vale o risco?

Charlotte Empey, 28 Novembro 2018

Você não precisa gastar nada para ir a esse café. Estudantes pagam a conta com seus dados pessoais.

Apesar do barulho em torno das acusações feitas ao Facebook, Google e outras empresas de enganarem os seus usuários para que compartilhem dados pessoais, parece que o nível de conforto das pessoas em entregar seus dados pessoais está ficando cada vez maior.

Veja, por exemplo, o caso do Shiru Cafe em Providence (Rhode Island, Estados Unidos), onde os alunos da Brown University “pagam” pelo café, mas não em dinheiro. Em vez disso, eles são solicitados a fornecer uma grande quantidade de informações pessoais em troca do seu café matinal. 

Embora os professores tenham permissão para pagar, os alunos ganham café de graça ao fornecer dados, incluindo nome, telefone, email, curso de graduação, data de nascimento e interesses profissional, tudo por meio de um formulário online. De acordo com o café, os alunos sabem que, ao fornecer informações pessoais, elas ficarão sujeitas a compartilhamento com patrocinadores corporativos, mas não com terceiros. Esses patrocinadores, como a JP Morgan, Nissan e Microsoft, por sua vez, fazem marketing com os estudantes por meio de anúncios físicos e digitais, apps, logotipos, pesquisas e outros. Frequentemente, esses esforços se concentram no recrutamento de novos profissionais.

shiru-cafe-data-collection-1Além de outros dados sobre o curso de graduação, o site do Shiru Cafe coleta dados pessoais como a preferência do porte de empresa em que gostariam de trabalhar, conjunto de habilidades em TI, etc.

O site do Shiru afirma: “Temos colaboradores especialmente treinados para oferecer informações adicionais aos estudantes sobre nossos patrocinadores enquanto eles aproveitam o café”.

Jacqueline Goldman, uma estudante de pós-graduação em Brown confia no café e diz: “estou fornecendo muitas informações às organizações e não ganho nenhum bem ou serviço em retorno. A Shiru está sendo transparente”.

Embora isso possa ser verdade e o modelo de “pagamento com dados” esteja ganhando o interesse de profissionais de marketing, especialmente devido às novas restrições do GDPR, essa é uma abordagem que também pode criar graves riscos. As preocupações em relação à privacidade continuam a aumentar devido a um número cada vez maior de vazamentos dos banco de dados de lojas (por exemplo, como aconteceu com a Macy's, Under Armour, Best Buy e Panera Bread).

Jacob Furst, um professor de segurança de computadores na DePaul University, foi citado na New York Magazine dizendo que deveria haver um motivo para se preocupar caso os alunos fossem obrigados a se conectar na rede WiFi do café, o que poderia permitir o acesso a uma gama muito maior de informações, também por terceiros.

Embora lojistas e profissionais de marketing continuem a procurar novas maneiras de personalizar ofertas e serviços com base no perfil e dados dos clientes, as empresas precisam garantir um nível de segurança adequado ao risco.

Luis Corrons, promotor de segurança na Avast, tem uma visão: “Digamos assim”, ele explica. “Quando você fica sem dinheiro, não pode mais pagar pelo café e fornece seus dados pessoais, você está perdido, pois eles já têm tudo o que procuravam”. Seria um bom exercício, ele acrescenta, “se isso ajudasse as pessoas a perceber a importância de proteger as suas informações pessoais”.

Como o Shiru Cafe planeja abrir mais filiais, vamos ver se o café gratuito será um risco ou uma recompensa.