Dicas

5 coisas que você precisa saber sobre caixas de som inteligentes

Jeff Elder, 22 Janeiro 2020

Milhões de pessoas compram Assistentes de voz inteligentes, como Alexa, Google Home ou Apple Siri. Saiba como implementar práticas de segurança para esses dispositivos desde o começo

Milhões de pessoas já têm Assistentes de voz inteligentes, que trazem grandes desafios na área de cibersegurança.

Quase um em cada dez norte-americanos ganhou um Assistente de voz inteligente no Natal de 2018, como revela uma pesquisa feita pela empresa NPR and Edison Research. Além disso, o número desses aparelhos nas residências aumentou 78% de um ano para o outro, chegando à marca de 118,5 milhões de dispositivos instalados em dezembro de 2018.

Quase dois terços (63%) das pessoas que têm o Alexa da Amazon ou o Google Home dizem “estar preocupadas de que cibercriminosos usem esses Assistentes de voz para ter acesso a suas residências ou informações pessoais”.

Assistentes de voz inteligentes apresentam vulnerabilidades de segurança específicas, diferentes dos computadores, smartphones e até mesmo dos dispositivos IoT” Jasdev Dhaliwal, Evangelista de Segurança da Avast

“Assistentes de voz inteligentes apresentam vulnerabilidades de segurança específicas, diferentes dos computadores, smartphones e até mesmo dos dispositivos IoT”, explica o Evangelista de Segurança da Avast, Jasdev Dhaliwal. “Nossa interação com eles é mais intuitiva e, geralmente, menos cuidadosa. Esses aparelhos se conectam com outros dispositivos e redes de outras maneiras e não nos damos conta. E quando presenteamos parentes com essa tecnologia para que se conectem mais facilmente ao mundo online, não consideramos os problemas de segurança que eles podem causar”, completa.

Mas o que isso tem a ver com você? Quer você esteja dando ou recebendo um Assistente de voz inteligente de presente, é bom ter algumas práticas de segurança em mente. Aqui vão cinco dicas:

  1. Pense no fato de que uma máquina está ouvindo você. Um novo usuário dessa tecnologia pode precisar aprender sobre as consequências de se ter um dispositivo inteligente que escuta o que você fala. Algumas pessoas só querem uma máquina que possa se conectar à internet e lhes fazer lembretes. Muitos outros ficam alarmados quando descobrem que funcionários humanos da Amazon, Apple e Google estavam escutando* algumas conversas que as pessoas tiveram com os seus Assistentes de voz inteligentes. Assim, é bom saber que há algumas medidas que você pode tomar* para proteger a sua privacidade* ao usar Assistentes de voz inteligentes. E os consumidores deveriam saber que eles podem silenciar os microfones desses dispositivos e apagar as conversas já gravadas.
     
  2. Faça uma faxina de segurança em sua casa. Aproveite para mudar o nome e a senha da sua rede Wi-Fi, antes que os Assistentes de voz inteligentes ou outros dispositivos sejam adicionados à sua rede. Para isso, vá até o site da sua operadora e pesquise como fazer esta mudança. Lembre-se de usar uma senha longa* que não tenha sido usada antes e que inclua uma combinação de letras maiúsculas e minúsculas, números e caracteres especiais. Renomeie a sua rede Wi-Fi com um nome que não seja facilmente identificável por outras pessoas. Por exemplo, não use o seu nome ou o seu endereço. Essa mudança irá desconectar todos os aparelhos da rede Wi-Fi: smartphones, computadores e dispositivos IoT. Isso é chato. Também é uma forma de se certificar que ninguém desconhecido está na rede. Nunca confie na senha padrão que acompanha seu roteador. Alguns roteadores contam com senhas do tipo “admin” ou “senha”. Certifique-se de que seu roteador e rede Wi-Fi sigam as recomendações de criação de senha (acima).

smartspeakersillusration.3

  1. Cuidado com a forma como você se conecta. Amazon, Google e Apple adoram conectar seus Assistentes de voz inteligentes às contas online. Isso ajuda a Alexa a comprar coisas na Amazon, ou o Google Home a usar sua ferramenta de busca. Uma boa prática em higiene de cibersegurança é mudar suas senhas da Amazon, Google ou Apple antes de conectar o seu Assistente de voz. Depois que ela for configurada, ative o reconhecimento de voz, caso seja possível. Isso permitirá que você se conecte às suas contas, mas também evita que outros as acessem. Se você não fizer isso, alguém poderia pedir ao seu Assistente de voz inteligente para acessar as contas que você tem conectadas. (O pior cenário: “Google, leia os e-mails do Marcos”). Esse também é um bom motivo para mudar sua senha da Alexa ou do Google para alguma coisa mais segura.
     
  2. Não deixe o seu Assistente de voz inteligente perto da janela. Pesquisadores da Universidade de Michigan demonstraram como fazer para invadir Assistentes de voz inteligentes por laser*. É improvável que isso aconteça com você, mas melhor prevenir do que remediar. E você também não vai querer aspirantes a hackers apontando lasers para sua janela. Um risco mais plausível seria o de que ladrões poderiam gritar para o Assistente de voz inteligente “Alexa, destranque a porta da frente!”. Ou simplesmente quebrar a janela para roubar o dispositivo.
     
  3. Aprenda e ensine cibersegurança. Se você der um Assistente de voz inteligente a alguém, você está abrindo um novo mundo de conversas diárias e vulnerabilidades. Não é só configurar o aparelho e esquecer de tudo. Alguns usuários podem passar a confiar em seus dispositivos e negligenciar os riscos. Eles também podem não saber que seus aparelhos podem ajudá-los de muitas formas diferentes. Talvez seja preciso ter uma conversa séria sobre cibersegurança com o novo usuário antes que ele faça uma compra “sozinho” por controle de voz.

Entendeu como a coisa pode ser grave? A configuração pode parecer complicada se comparada ao simples ato de pedir à Alexa, ao Google ou à Siri para fazer alguma coisa. Esse é o ponto. Assistentes de voz inteligentes são maravilhosamente convenientes. Reforçar sua segurança é um pouquinho mais complicado, mas vale a pena.

* Original em inglês.