Segurança Cibernética

O Bom, o Mau e o Feio. Por dentro da segurança do Windows

Lisandro Carmona de Souza, 9 Fevereiro 2017

Como no filme, a Microsoft começa no Windows 10 a corrida encontrar o tesouro da segurança que as empresas especializadas já começaram há 25 anos.

No filme de Sergio Leone (cujo título oficial é Três homens em conflito), Clint Eastwood (o Bom), Eli Wallach (o Mau) e Lee Van Cleef (o Feio) estão correndo para encontrar uma fortuna em ouro que foi enterrada em um cemitério abandonado. Com o Windows 10, a Microsoft deu vários passos em termos de proteção. Contudo, em que estágio estamos agora?

PT_Avast_2017_CTA.png

O Bom

Os laboratórios de testes como a AV-Comparatives – “uma organização independente que disponibiliza regularmente testes que verificam se os programas de segurança (...) funcionam como prometem” – desenvolveram o Teste de Proteção Mundo-Real que  “reproduz o cenário de um usuário comum em um computador normal”.

No gráfico abaixo, podemos ver uma comparação de longo prazo entre o Avast Free Antivírus e o Microsoft Windows Defender:

Teste.de.protecao.mundo.real.jpgProteção contra ataques de malware dia-0
incluindo ameaças via internet e email (Teste Mundo-Real)

Fonte: AV-Comparatives

Não há dúvida que os esforços da Microsoft para aumentar a segurança nos últimos três anos podem ser vistos nesse gráfico. Contudo, sendo sua especialidade o sistema operacional e não uma empresa que desenvolve soluções de segurança, esses esforços acabam punindo o usuário.

O Mau

Ao tentar melhorar a sua capacidade de detecção, a tecnologia da Microsoft mostra que está longe de estar madura. Na parte inferior direita do gráfico, podemos ver uma das punições por essa pressa: o número de falsos positivos aumentou significativamente. Em outras palavras, o Windows Defender não está acertando no alvo todas as vezes e está matando os mocinhos junto com os bandidos.

O Feio

Além dos falsos positivos, quando é submetido a testes de desempenho – que utilizam ações padrão para medir o impacto na velocidade do sistema, por exemplo: abrir sites populares; baixar, instalar e rodar aplicativos; copiar arquivos – a verdade sobre o Windows Defender aparece e vemos como o Defender influencia negativamente no desempenho do Windows (neste gráfico, quanto maior o valor, pior o resultado):

Impacto.no.desempenho.de.um.computador.Windows.jpgComparação de longo prazo do impacto no desempenho do computador entre
o Avast Free Antivírus e o Windows Defender (valores menores são melhores)

Fonte: AV-Comparatives

E há razões para isso: a proteção em camadas. O Avast Antivírus – assim como outras boas soluções de segurança – tem mais camadas de proteção e módulos. Esta forma de desenvolver um aplicativo de segurança não tem a ver com as vendas. Ter partes especializadas para fazer determinadas tarefas evita reduzir o desempenho de todo o sistema. O Avast 2017 tem 4 módulos principais (Arquivos, Comportamento, Email e Internet) e o produto final não deixa o seu sistema lento como a solução não-otimizada do Windows Defender.

Além disso, a tecnologia exclusiva CyberCapture traz a proteção das nuvens para 400 milhões de usuários em todo o mundo. Tudo em tempo real. Com o novo Módulo Comportamentouma tecnologia AVG que foi incorporada ao novo Avast 2017 – você está especialmente protegido contra malwares dia-0.

Final feliz

Se você optar pelo Avast Antivírus não terá de esperar para que a tecnologia amadureça. Você pode baixar e instalar o aplicativo que resolva desde já suas necessidades de um produto de alta qualidade e que não passe a conta deixando lento o seu computador.