Segurança Cibernética

O FaceApp é seguro? Esclarecemos a confusão sobre o app que viralizou | Avast

Jeff Elder, 19 Julho 2019

Celebridades, atletas e milhões de outras pessoas postaram fotos de si mesmas editadas com o aplicativo FaceApp. Mas quais são os riscos de privacidade que estão correndo?

O FaceApp pode fazer seu rosto parecer velho, mas ele também invade a sua privacidade? Na semana que passou, as fotos do aplicativo – e o medo sobre questões de segurança cibernética – passaram pelas mídias sociais com mais distorções do que clareza.

Screen%20Shot%202019-07-18%20at%2011.45.25%20AMLeBron James postou esta foto no Instagram

Desde o seu lançamento em 2017, o aplicativo permite que os usuários editem fotos para parecerem mais velhos – ou mais jovens, ou como uma pessoa de outro sexo – às vezes, com efeitos divertidos. Celebridades o usaram para, de repente, parecerem idosas. Atletas profissionais estão se tornando irreconhecíveis. De repente, se tornou muito popular aceitar o "desafio FaceApp", como foi chamado por alguns a "coragem" de postar as fotos geradas pelo aplicativo. Embora o aplicativo não seja novo, sua redescoberta parece ser um grande sucesso em 2019.

Lojas de aplicativos parecem endossar o aplicativo. A Play Store do Google divulga o aplicativo para Android, com 1,5 milhão de downloads, como uma Escolha do Editor. A App Store da Apple, que não mostra o número de downloads, mostra uma classificação de 4.8 de 5 de 714K usuários.

Screen%20Shot%202019-07-18%20at%2011.02.26%20AMA Google Play Store tornou o FaceApp uma Escolha do Editor

Na quarta-feira, 17 de julho, um líder do Partido Democrata americano, o senador Chuck Schumer, de Nova York, publicou esta alarmante mensagem no Twitter:

“Uau: Compartilhe se você usou #FaceApp: @FBI & @FTC devem analisar os riscos de segurança e privacidade nacionais agora. Porque milhões de americanos o usaram. É de propriedade de uma empresa sediada na Rússia. E os usuários são obrigados a fornecer acesso total e irrevogável às suas fotos e aos dados pessoais”.

O Comitê Nacional Democrata – que foi invadido em 2015-2016 por cibercriminosos russos – alertou seus mais de 20 candidatos presidenciais a evitar o aplicativo em uma carta na quarta-feira, informou a CNN.

De repente, a moda das redes sociais começou a parecer não tão inofensiva. A adoção viral do FaceApp poderia prejudicar a segurança nacional dos EUA? Poderia ser uma ameaça séria à sua segurança?

Nikos-2A resposta para ambas as perguntas é não, diz Nikolaos Chrysaidos, chefe de inteligência de ameaças para mobiles da Avast, que verificou o tráfego na web e descobriu que o aplicativo não está enviando dados confidenciais dos usuários de volta aos seus servidores. "Não vejo sinal do aplicativo invadindo a privacidade de formas nefastas", disse Chrysaidos. “Embora seja verdade que para funcionar o aplicativo colete dados e fotos, esse tipo de risco vem junto com muitos aplicativos semelhantes a esse".

“As pessoas ouvem Inteligência Artificial, privacidade e Rússia e, compreensivelmente, ficam preocupadas. Mas dar um passo atrás para ver os fatos mostra que essa não é uma questão importante de segurança cibernética”, disse Nikolaos Chrysaidos, chefe de inteligência e segurança de ameaças para mobiles da Avast

Apesar do alvoroço, este aplicativo não é muito diferente de muitos outros aplicativos populares e está em operação há dois anos. O FaceApp explicou seu uso de dados e quais partes da empresa têm ligações com a Rússia, conforme relatado pelo TechCrunch. Os engenheiros do Google analisaram a segurança do aplicativo. E pesquisadores independentes de segurança cibernética disseram ao The New York Times que as preocupações com o FaceApp são exageradas.

"Este não é um aplicativo malicioso, mas é um dos muitos aplicativos que levantam problemas de privacidade", disse Chrysaidos. “Esta não é uma questão urgente, mas é predominante. As empresas que produzem aplicativos devem ser mais transparentes quanto ao uso de dados, e a responsabilidade também recai sobre os consumidores. É mais um lembrete para praticar uma melhor segurança cibernética no seu dispositivo móvel”.

O FaceApp acrescentou que elimina muitas fotos dos seus servidores em 48 horas e muitos usuários não fazem login. “Todos os recursos do FaceApp estão disponíveis sem fazer login, e você pode efetuar login apenas na tela de configurações. Por isso, 99% dos usuários não efetuam login; portanto, não temos acesso a nenhum dado que possa identificar uma pessoa”, informou o aplicativo ao TechCrunch. As pessoas também podem usar o FaceApp sem permitir que o aplicativo acesse suas bibliotecas de fotos, editando apenas as fotos que elas tiram por meio do próprio aplicativo.

Uma maior compreensão do público sobre privacidade e os aplicativos pode ajudar a esclarecer problemas de segurança antes que um deles se torne viral, disse Chrysaidos. Quando as preocupações voam pelas mídias sociais e se tornam parte de um tópico viral, pode ser muito difícil ver a verdadeira face de um problema.

Os consumidores preocupados com o FaceApp podem olhar para um cenário maior, analisando quais aplicativos estão em seus dispositivos, aprendendo mais sobre questões de privacidade e instalando o Avast Mobile Security em seu dispositivo Android.