Como eliminar a violência contra a mulher

Jaya Baloo, 10 Março 2021

Jaya Baloo, fala sobre o aumento no uso de stalkerwares em 2020 e a relação entre esses malwares e relacionamentos abusivos

Desde o início da Covid-19, a ONU vem registrando um aumento nos índices de violência doméstica no mundo todo: nos últimos 12 meses, 18% das mulheres entre 15 e 49 anos que já estiveram em um relacionamento foram vítimas de violência física ou sexual de seus parceiros. Segundo a ONU Mulher, França, Argentina, Chipre e Singapura registram alta acima dos 30%, assim como EUA, Canadá, Alemanha, Reino Unido e Espanha.

Nos anos anteriores, o comportamento abusivo também se espalhou pelo mundo digital. Trata-se de uma tendência que se intensificou no ano passado. Entre março e junho de 2020, o Laboratório de Ameaças da Avast registrou um aumento de 51% no volume de spywares e stalkerwares comparado aos dois primeiros meses daquele ano.

Stalkerware é um software malicioso que pode ser utilizado para: localizar uma pessoa; acessar fotos e vídeos pessoais; interceptar e-mails, mensagens de texto e de aplicativos como WhatsApp e Messenger; além de ouvir ligações telefônicas e gravar conversas pela internet sem que a vítima se dê conta. Geralmente instalado discretamente em dispositivos por “amigos”, parceiros ciumentos ou ex-parceiros, os stalkerwares privam as vítimas de liberdade física e virtual.

Esses aplicativos são desenvolvidos para operar silenciosamente, sem que a vítima perceba. Estamos falando de ferramentas robustas e invasivas utilizadas por agressores para molestar, monitorar e rastrear suas parceiras. Isso pode ser assustador e traumatizante, já que a violência psicológica continua mesmo depois da separação.

Em julho do ano passado, o Google tomou uma medida importante para a diminuição do uso de stalkerwares. Na ocasião, a empresa baniu o anúncio de produtos ou serviços divulgados com o propósito de rastreamento ou monitoramento de outra pessoa ou suas atividades sem a autorização dela. Entretanto, aplicativos quase idênticos ainda são permitidos, passando-se por ferramentas de detetives particulares ou para pais que desejam ficar de olho em seus filhos.   

O elo entre hiperconectividade e comportamento abusivo

Há uma forte relação entre relacionamentos abusivos e a presença de stalkerwares nos dispositivos das vítimas. O aumento no número de dispositivos conectados e a existência de aplicativos discretos de espionagem e assédio criam mais uma forma para agressores exercerem controle sobre suas vítimas. Isso é especialmente preocupante agora, já que essas mulheres têm mais dificuldade de deixar seus lares como parte do isolamento social adotado para combater a Covid-19.   

Mesmo que seja importante saber como remover um stalkerware de um dispositivo, também é crucial ter consciência dos resultados que isso pode causar. A exclusão deste aplicativo pode enviar um aviso ao agressor. Então, antes de mais nada, é preciso evitar sua instalação. A primeira coisa é proteger o smartphone com senha ou código PIN. Isso ajuda a evitar a instalação de softwares sem o conhecimento da sua proprietária. A segunda é instalar um software antivírus, que alerta o usuário sobre todas as tentativas de instalação de stalkerwares, além de ajudar a removê-lo quando necessário. Essas duas medidas são simples e ajudam a proteger tanto o dispositivo quanto os dados pessoais armazenados nele.

Algumas vezes, um parceiro abusivo pode se opor fortemente a uma dessas medidas de segurança bastante comuns. Isso é um sinal de alerta que não deve ser ignorado. Mas também é possível remover manualmente um stalkerware do smartphone:

  • a primeira coisa a fazer é reiniciar o dispositivo em modo seguro, mantendo o botão de liga-desliga pressionado até que você veja as opções de reinício. É preciso tocar em “Desligar” para que a opção “Reiniciar em Modo Seguro” apareça. 

  • Depois que o dispositivo reiniciar, é preciso acessar as configurações do aparelho para excluir todos os aplicativos suspeitos e desconhecidos. Caso você tenha dúvidas sobre algum aplicativo, faça uma pesquisa na internet para ver se outras pessoas tiveram algum problema com ele.       

Se de um lado as tecnologias digitais oferecem oportunidades incríveis, por outro elas também aumentam o controle de parceiros abusivos sobre suas vítimas. É preciso estar ciente sobre a existência desses aplicativos espiões e quebrar o silêncio para, em caso de abuso, conseguir ajuda para escapar dessa situação. Para escapar dessa violência e ajudar outras pessoas em um relacionamento abusivo, todos precisam saber como identificar os sinais dessa situação, além de ter conhecimentos sobre a proteção de dispositivos digitais e a eliminação de malwares.


A violência se intensificou tanto durante a pandemia, que a diretora-executiva da ONU Mulher, Phumzile Mlambo-Ngcuka, se referiu ao fato como sendo uma “epidemia fantasma” da Covid-19. Saiba mais sobre a pesquisa relacionada à violência contra a mulher (em inglês) realizada pela ONU Mulher.

Artigos relacionados