Segurança Cibernética

A Internet das Coisas (será hackeada em breve?)

Lisandro Carmona de Souza, 20 Junho 2015

A Internet das Coisas (será hackeada em breve?)

Os Jetsons (via philosophymatters.org)Em breve, estaremos vivendo como os Jetsons (imagem via philosophymatters.org)


No final desta década, todos na Terra estarão conectados.

Eric Schmidt, Presidente da Google




Como uma regra de ouro, é melhor manter na mente que tudo e qualquer coisa que possa se conectar à Internet pode ser alvo de hackers. Sistemas mal projetados ou implementados sem os devidos cuidados podem abrir sérias brechas que os cibercriminosos podem explorar. Agora, a maioria de nós já está familiarizado com certos aparelhos que podem estar conectados à Internet, como os celulares e/ou laptops, relógios inteligentes e carros, mas o que pensar das coisas que já estão surgindo em um mundo conectado? Alguns desses novos itens são os roteadores, sensores e aparelhos do dia a dia como alarmes, fornos de microondas e churrasqueiras.


Quando manejamos estes aparelhos que começamos a conhecer e gostar, como os nossos telefones Android ou iPads, já nos deparamos com inúmeras políticas de privacidade, vazamento de dados, transmissão não criptografada de dados pessoais que foram rastreados. Dando mais um passo, é ao mesmo tempo intrigante e assustador pensar sobre os desafios que nos aguardam na Internet das Coisas (IoT) que se torna mais e mais uma realidade. Em um recente artigo publicado pelo The Guardian, o autor, Marc Goodman, pinta um evocativo quadro do mundo com o poder da Internet das Coisas:

Como o seu despertador está conectado à internet, ele poderá acessar e ler o seu calendário. Ele saberá onde e quando será o seu primeiro compromisso do dia e poderá cruzar esta informação com as últimas condições do trânsito. Se o trânsito estiver leve, você poderá dormir 10 minutos a mais. Se o trânsito estiver pesado, você descobrirá que levantará um pouco mais cedo do que esperava.


Quando o seu alarme parar, ele ligará pouco a pouca as luzes da casa, talvez ligará a água quente para o seu banho. A porta eletrônica da casinha do cachorro deixará que o Rex vá ao jardim para o seu passeio matinal, e a cafeteira começará a fazer o seu café. Você não terá de perguntar aos seus filhos se eles escovaram os dentes: o chip na sua escova irá mandar uma mensagem ao seu smartphone para dizer que a tarefa foi cumprida. Quando você caminha para porta, não terá de se preocupar para encontrar suas chaves. O sensor da chave permitirá que você a encontre. Será como se a era dos Jetsons tiver finalmente começado.




Portanto, como podemos utilizar estas tecnologias a nosso favor? Quase todos os softwares ainda estão sendo otimizados para os wearables e outros gadgets inteligentes, mas há três coisas que temos de ter diante dos olhos quando entramos na era da Internet das Coisas:

  • Os aparelhos podem sofrer danos por problemas no hardware, aplicativos mal projetados ou por ataques movidos a engenharia social
  • Problemas causados por criptografia fraca na transmissão via WiFi ou Bluetooth podem permitir a espionagem do tráfego de dados ou ataques man-in-the-middle e de redirecionamento malicioso
  • Problemas com o armazenamento na nuvem podem causar o vazamento de dados pessoais




A tranquilidade de estar protegido contra estas falhas virá da utilização de uma VPN ao se conectar a redes abertas e inseguras. O Avast SecureLine VPN está disponível para Windows, Android e iOS.