Notícias corporativas

Gerente de eCommerce do Avast no Brasil fala dos planos para 2015

Lisandro Carmona de Souza, 20 Janeiro 2015

Gerente de eCommerce do Avast no Brasil fala dos planos para 2015

William R. Plaza do Hardware.com.br - um dos sites mais respeitados em matéria de hardware, redes, Linux e tecnologia em geral - entrevistou André M. Pinto, nosso gerente de eCommerce para o Brasil. Leia abaixo a íntegra da entrevista publicada há alguns dias.

Introdução

A nossa entrevista de hoje é com o Andre Munhoz Pinto, gerente de eCommerce da Avast no Brasil. De forma lúcida e sincera Andre nos conta como o Avast está preparada para a segurança dos novos dispositivos da Internet das Coisas, como a empresa vem liderando o mercado brasileiro de soluções de segurança e etc.

Confira:

Hardware.com.br: Primeiramente André quero te agradecer por aceitar a entrevista e para início de conversa, eu queria que você explicasse para os nossos leitores um pouco do seu trabalho na Avast e quais são os planos da empresa para 2015.

André Munhoz Pinto: Eu sou gerente de eCommerce da Avast para o mercado brasileiro. Sou responsável por promover a marca e produtos da empresa no Brasil através das nossas mídias sociais, mensagens dentro dos produtos e parcerias com outras empresas do setor. Meu trabalho é entender o que o brasileiro em geral precisa em termos de segurança online e traduzir isso em informação, promoções de marketing e sugestões técnicas para os nossos engenheiros de TI.

A Avast fechou o ano de 2014 com 62% do mercado de antivírus no Brasil, portanto, meu foco principal em 2015 é manter este nível de alcance e, ao mesmo tempo, ajudar os brasileiros com informação sobre as novas ameaças para a segurança online, principalmente com relação a smartphones e tablets.

Hardware.com.br: Com tantas formas de burlar a licença dos programas atualmente, como convencer os usuários a adquirirem uma licença de uma suíte de segurança? Está mais difícil atualmente do que em anos anteriores?

André Munhoz Pinto: Tudo depende da qualidade do produto. O mercado de antivírus tem uma concorrência muito grande, com muitos bons produtos grátis e outros a baixo custo, portanto, ter um bom produto e boa tecnologia é fundamental. Não acho que está mais difícil de vender hoje em dia do que no passado, porque embora temos uma maior concorrência, o consumidor final também está mais bem informado. Ele ou ela sabe que não pode ficar sem antivírus e se preocupa muito com licenças "grátis“ que podem ser adquiridas online. Quando identificamos um usuário utilizando uma licença paga a qual não foi adquirida legalmente, nós primeiro oferecemos a compra do nosso produto e depois cortamos o serviço daquela licença. Em alguns casos, podemos até mesmo abrir processos judiciais, mas na grande maioria das vezes os usuários que tentam burlar a nossa licença acabam virando nosso cliente.

Hardware.com.br: De acordo com a AV-Test em 2014 houve um aumento de 73% de novos Malwares em relação a 2013, como o Avast se mantém preparado para estatísticas tão alarmantes como essa?

André Munhoz Pinto: Para nós isto não é surpresa! E não será surpresa se este número aumentar ainda mais em 2015. Só para você ter uma ideia, em 2011 tinhamos em nosso banco de dados 100 mil amostras de malwares desenvolvidos somente para celulares e tablets, em 2014 registramos 1 milhão de amostras. O consumidor final precisa entender que hoje em dia hackers são profissionais do ramo, não são mais adolescentes sentados em um quarto escuro bebendo refrigerante e comendo pizza amanhecida. Hackers estão 24 horas por dia, 7 dias por semana trabalhando nisso. Para dar conta desses ataques, a Avast possui o IQ Community, que lança uma nova ameaça de vírus automaticamente ao nosso laboratório assim que ela aparece. São 50 mil amostras diárias de vírus que recebemos. Elas são checadas e, uma vez o vírus é identificado, criamos a vacina e enviamos uma atualização automática para todos os nossos usuários no mundo. Isso ocorre praticamente em tempo real, portanto, conseguimos identificar e combater uma ameaça mais rápido do que grande parte dos nossos concorrentes. Há um vídeo curto no YouTube explicando como o IQ funciona, clique aqui.

Hardware.com.br: Em sua opinião o embate entre a Sony Pictures e a Coréia do Norte, mudou de uma vez por todas as perspectivas de ataques? Podemos estar caminhando para um grande ciberguerra?

André Munhoz Pinto: Talvez a ciberguerra já esteja acontecendo e nem sabemos disso, mas o que aconteceu com a Sony Pictures ajudou a abrir os olhos de muita gente que achava que isso era mentira. Em 2014 tivemos vários ataques sérios a empresas de varejo como a loja Target, nos Estados Unidos, onde muito dinheiro e dado dos clientes foram roubados do dia para a noite. Não vou entrar em questões políticas, mas para o consumidor final é importante manter controle de seus dados online para manter-se seguro. Cada vez mais os ataques estão ocorrendo na comunicação entre um roteador e um servidor, ou seja, hoje em dia, não é nem mais necessário invadir um PC fisicamente para roubar seus dados.

Hardware.com.br: Durante a CES desse ano, o conceito de internet das coisas inundou o evento, indo de vaso de plantas controlado por Smartphone a os sistemas autônomos para veículos, como o Avast está se preparando para essa nova leva de dispositivos conectados? Teremos softwares especiais para essa nova realidade? André Munhoz Pinto: Boa pergunta! E a resposta dela vai muito de acordo com o que comentei na resposta anterior. Com a Internet das Coisas se popularizando veremos cada vez mais um número maior de dispositivos conectados ao mesmo roteador. Ou seja, se um hacker invadir sua rede doméstica de acesso à internet, ele poderá roubar os dados de todos os computadores ligados ao seu roteador, e aí inclui celular, tablet, laptop, TV, rádio e qualquer outro produto eletrônico ou equipamento gerenciado via Wi-Fi, como por exemplo a iluminação da sua casa. Dessa forma, criminosos poderiam até mesmo verificar quais são os dias e horas que você está em casa ou não; ou se você tiver uma chave eletrônica, poderão desativar a mesma. A Avast acaba de se tornar a primeira empresa do mercado de antivírus a lançar o Home Network Security. Um recurso que escaneia o seu roteador em busca por vulnerabilidades. Através deste sistema (que é gratuito) o consumidor poderá verificar se houve ou não uma tentativa de ataque ao seu roteador e, então, agir rapidamente para impedir qualquer dano à sua segurança. Acreditamos que esta é a melhor maneira, no momento, de mantermos a segurança de nossas clientes em dia. Hardware.com.br: Na versão 2015 do Avast internet Security há diversas opções de segurança muito interessantes, como SecureDNS por exemplo, mas também há ferramentas como o Software Updater que atualiza os programas que o usuário tiver na máquina para evitar que falhas prejudiquem a segurança do mesmo. Como ocorre o desenvolvimento dessas novas ferramentas? A decisão de incluir ou não algum recurso é uma tarefa complicada? André Munhoz Pinto: Na verdade, este é um processo que nunca termina. Pois após a implementação de um novo recurso temos de verificar no mercado como as pessoas estão usando o mesmo e se estão satisfeitas ou não com ele. Portanto, quando um recurso é implementado ele geralmente já passou pela análise não somente de nossos engenheiros e diretores, mas também do consumidor final. Não acho isso um processo complicado, pois aqui na Avast somos apaixonados pelo o que fazemos, principalmente a implementação de um novo recurso. Hardware.com.br: O Avast completou 25 anos de história e 200 milhões de clientes durante todo esse período, qual a formula do sucesso nesse mercado tão competitivo? André Munhoz Pinto: Acho que essa pergunta caberia mais aos nossos cofundadores que ainda trabalham na empresa, mas no meu ponto de vista há dois fatores primordiais: 1) produtos e tecnologia de ponta; 2) paixão pelo o que fazemos. O ambiente dentro da empresa é muito positivo e acredito que isto faz com que o sucesso venha mais rápido. Hardware.com.br: Para encerrar queria que você dissesse o que podemos esperar em 2015 nesse mundo rotativo de Malwares, e se as dicas de proteção que já são conhecidas por grande parte dos usuários, ainda prevalecem, ou se a perspectiva está mudando e temos que começar a utilizar novos métodos. E deixe também as mídias sociais do Avast para que nossos leitores encontrem mais sobre vocês. André Munhoz Pinto: Publicamos recentemente em nosso blog dois artigos com as previsões para 2015, você pode ler mais detalhes aqui e aqui. Entretanto, na minha opinião a grande novidade está no ataque a roteadores, algo ainda praticamente desconhecido por grande parte dos usuários. A área de „malware móveis“ (celulares e tablets) também deverá crescer, considerando que muita gente está acessando a internet através desses dispositivos. Também veremos um aumento no número de ataques via mídias sociais já que Facebook, por exemplo, permite agora a publicação de vídeos diretamente nos murais dos usuários, ou seja, mais brechas surgirão. Com relação às „antigas dicas“ de proteção, elas continuam mais vivas do que nunca pois acredite ou não a contaminação de computadores através de spams e phishing continua muito popular. Para quem quiser saber mais sobre a Avast, acesse o nosso blog, Facebook ou Twitter.