Protecting over 230 million PCs, Macs, & Mobiles – more than any other antivirus

Arquivo

Textos com Etiquetas ‘WiFi’
24, agosto, 2015

Saindo de viagem? Coloque a proteção à WiFi em sua bagagem.

Proteja seus aparelhos em redes WiFi inseguras, públicas ou abertas com o Avast SecureLine VPN.

Proteja seus aparelhos em redes WiFi inseguras, públicas ou abertas com o Avast SecureLine VPN.

Confiar no seu hotel para se proteger quando você utiliza a rede WiFi de convidados não é uma boa ideia.

Mesmo a melhor chave de hotel está vulnerável a hackers, por isso, ter uma Rede Virtual Privada (Virtual Private Network – VPN) é vital para a sua proteção. Agora eu vou contar como é fácil de utilizar uma VPN. Mas antes, veja como os cibercriminosos atacam suas vítimas: uma forma é através de um equipamento cheio de problemas como, por exemplo, a falha crítica descoberta em março no produto da InnGate da ANTlabs utilizado por 277 hotéis, centros de convenções e data centers de 29 países. O InnGate fornece acesso temporário (convidado) a uma conexão WiFi. Hackeando este tipo de equipamento, um cibercriminoso consegue acesso de leitura e escrita completo a um sistema de arquivos Linux e, a partir dele, lança o seu ataque contra os convidados conectados a uma rede WiFi de um hotel. Outra tática dos hackers é criar uma falsa rede WiFi, com um nome inofensivo como “WiFi Convidados” e levar as vítimas a se conectar a ela. O que os hackers fazem é configurar o seu próprio ponto de acesso e esperar que você se conecte a ele em vez da verdadeira rede WiFi do hotel.

O que os hackers querem?

Depende de quem você é e quais são as informações que você armazena em seus aparelhos. Para pessoas normais, com trabalhos normais, em geral, o hacker pode observar as suas atividades online, ler os seus emails, roubar as senhas das suas contas e, se ele for mais a fundo, pode roubar os dados do seu cartão de crédito. “Parece não haver limite ao que eles podem fazer”, disseram os pesquisadores que descobriram a falha InnGate. Os notebooks ou aparelhos móveis das vítimas também podem ser infectados com malware. No ano passado, os hackers da DarkHotel conseguiram acesso aos computadores de altos executivos, agências governamentais e NGOs, além de executivos americanos em viagem pela Ásia, provavelmente para roubar segredos nucleares.

Como se proteger em uma WiFi gratuita?

Talvez você não esteja carregando os códigos de lançamento de mísseis do seu país, mas permitir que alguém bisbilhoteie em seus arquivos pessoais e roube as suas senhas do Facebook ou até as bancárias, não é algo que você goste. Ainda bem que há uma solução fácil para se proteger quando se faz login em um ponto WiFi gratuito em qualquer parte do mundo. O SecureLine VPN é um pequeno programa, com um só botão, que conecta você a um dos 23 servidores em todo o mundo, criando a sua própria rede criptografada que impede qualquer tido de espionagem. Você pode utilizar o SecureLine VPN em seu computador Windows ou Mac, e em aparelhos Android.

Tudo o que você precisa fazer é instalar o programa ou o aplicativo e quando utilizar uma rede WiFi gratuita, iniciar o SecureLine VPN. Ele irá se conectar automaticamente ao servidor mais próximo. Você também pode escolher se conectar a qualquer outro servidor, o que lhe dá o benefício extra de acessar conteúdo restrito geograficamente quando estiver viajando. Geralmente estas conexões são super rápidas e, por isso, você nem vai notar nenhuma lentidão. O SecureLine VPN é um serviço por assinatura oferecido pela Avast, mas vem com um período de testes gratuito. Instale-o agora e veja como é fácil estar protegido.

Siga o Avast no Facebook, Twitter, YouTube e Google+, onde a gente mantém você atualizado todos os dias com notícias sobre segurança digital.

13, agosto, 2015

Usuários do Avast Mobile Security podem ajudar a desenvolver um novo app

Todos nós sabemos como é problemático encontrar e se conectar a redes WiFi em locais públicos. Com frequência, somos frustrados com taxas de roaming ou com velocidades de navegação muito baixas, especialmente em locais multitudinários. Na Avast, queremos que as conexões WiFi sejam seguras e feitas de forma simples para os nossos usuários. Por isso, estamos trabalhando no momento em um novo produto que irá ajudas as pessoas a detectar e se conectar a redes WiFi públicas sem nenhum risco de segurança.

Apresentamos o novo programa de produto pioneiro da Avast

Recentemente, lançamos uma nova função dentro do Avast Mobile Security chamada programa de produto pioneiro. Este programa ajuda a coletar os pontos de WiFi próximos aos usuários quando precisam se conectar a redes WiFi públicas. A função também permite a criação e o desenvolvimento do nosso próprio banco de dados de pontos de WiFi, confiável e atualizado, que precisamos dispor para ter as informações dos pontos disponíveis próximos aos nossos usuários. Como sabemos que os usuários do Avast dão muita importância a sua segurança e privacidade, estamos perguntando aos nossos usuários se querem nos dar uma mão na coleta e identificação destes pontos de WiFi ao seu redor. Isto requer a permissão de uso da posição GPS dos nossos usuários durante a instalação ou atualização do Avast Mobile Security.

Leia mais…

9, agosto, 2015

Rifles de precisão: a Internet das Coisas controlada por hackers

via Wired

via Wired

Para aqueles de vocês que seguem a evolução tecnológica, podem acrescentar rifles de alta precisão na lista que cresce de dia para dia das Coisas que podem ser hackeadas. A falha que permitiu a dois pesquisadores de segurança entrar dentro do sistema de mira do rifle é a mesma que permite que hackers tenham acesso a monitores de bebês e roteadores domésticos. Dito de forma simples: uma senha WiFi padrão que o fabricante impede a mudança e que permite a qualquer pessoa na redondeza se conectar. O limite típico é de 46 m dentro de casa e 92 m ao ar livre.

Antecipando-se à conferência Black Hat, os pesquisadores de segurança Runa Sandvik e Michael Auger mostraram que é possível hackear armas de fogo de precisão (TrackingPoint).

Os rifles TrackingPoint podem transformar um novato em um atirador de elite. Tudo isto graças aos sensores computacionais que incluem giroscópios e acelerômetros que levam em consideração todos os fatores que o atirador deve ter em conta: vento, velocidade do alvo, distância, orientação do atirador, calibre da munição e até a curvatura da Terra.

Perguntamos a Steve Ashe – um veterano das operações Desert Storm e Desert Shield que trabalhou junto com os atiradores de elite – o que ele pensa desta tecnologia. “Atiradores de elite devem ser excelentes em qualidades físicas e mentais e seus limites estão além do que podem atingir a maioria das pessoas. Este tipo de rifle nunca pode substituir estas capacidades pessoais. Além de serem os melhores atiradores, devem estar em excelentes condições físicas, capazes de fazer cálculos complicados de cabeça, ótimos em orientação em solo, perseguição e estimativa de distância”.

Uma das funções do rifle TrackingPoint é a capacidade de gravar um vídeo do disparo e compartilhá-lo com outro aparelho conectado via WiFi. É a conexão via WiFi que se tornou o ponto fraco. A rede WiFi do rifle possui uma senha padrão que não pode ser alterada.

Steve Ashe

Steve Ashe, veterano da Desert Storm, com um rifle que não pode ser hackeado.

Sandvik e Auger disseram à revista Wired que desenvolveram um conjuto de técnicas que permite a um hacker comprometer o rifle através da sua conexão WiFi, manipulando o seu software interno. Eles provaram que alterando uma das variáveis listadas acima pode provocar que o tiro não atinja o seu alvo ou mesmo impedindo completamente o uso da arma. O rifle TrackingPoint tem um alcance de 1.600 metros.

“Um atirador treinado está constantemente ajustando estes parâmetros. Naturalmente, uma coisa que eles sempre procuram é conseguir acertar alvos distantes”, disse Ashe.

A boa notícia é que os hackers não conseguem disparar a arma por si mesmos: isto ainda requer um dedo real puxando o gatilho.

As especulações em torno das consequências deste hackeamento de Sandvik e Auger são óbvias. Com aplicativos militares e policiais, deixar o controle da trajetória de uma bala a terceiros ou travar a arma pode causar a ruína de uma missão.

“Os rifles computadorizados ainda não fazem parte das unidades policiais ou militares, ainda que esteja sendo testado. Mas você sabe, as coisas levam mais tempo na estrutura militar. Os Marines não atualizam os seus rifles de precisão há 14 anos. Não parece que um hacker vai se tornar uma ameaça em breve”, disse Ashe.

Ainda bem que apenas 1.000 rifles TrackingPoint foram vendidos e a empresa não está mais produzindo a arma.

Siga o Avast no Facebook, Twitter, YouTube e Google+, onde a gente mantém você atualizado todos os dias com notícias sobre segurança digital.

10, junho, 2015

Invasão do sistema de computador do governo norte americano: é tão fácil assim?

Irreal, inacreditável, impossível, por que, como… Essas foram algumas palavras usadas por mais de 4 milhões de norte-americanos que trabalham para o governo federal após descobrirem que seus dados foram roubados em um ataque de hacker divulgado há cerca de 1 semana. O ataque, de acordo com o jornal The New York Times, tinha como objetivo adquirir dados pessoais de funcionários do governo em todo os Estados Unidos. Embora o ato ainda esteja em investigação, a grande suspeita é de que um hacker chinês esteja por trás desse roubo.

hacker

Ataques de hacker podem soar como fáceis, mas não são tão simples assim: saiba como se cuidar

Se isso tivesse ocorrido em um país de menor poder cibernético, talvez a notícia não seria tão alarmante. Mas ver que milhões de dados do governo norte-americano podem ser facilmente acessados em um piscar de olhos, realmente soa irreal. Mas espere um pouco! Eu usei a palavra “facilmente”? Opa, acho que me enganei…

Ninguém consegue invadir uma plataforma de dados como dos Estados Unidos do dia para à noite, a não ser que o criminoso tenha acesso a informações confidenciais e senhas que lhe permitam isso. Ou devido a algum descuidado de um funcionário por alguns segundos e a sorte de um hacker de estar lá no lugar certo, na hora certa. Pois na grande maioria dos casos é preciso muito trabalho para se chegar a este ponto.

Qual o motivo para este ato? Durante uma entrevista (em inglês) dada pelo CEO da Avast, Vince Steckler, à agência de notícias Bloomberg, em Singapura, “existe um mercado negro underground comercializando essas informações”. Segundo ele, com esses dados criminosos podem criar novas identidades ou adquirir informações detalhadas para quebrar senhas e ter acesso exclusivo a informações valiosas.

Tá, se o Obama não consegue se proteger, como eu (um simples mortal) poderei fazer isso?

Como dito por Vince, os seus dados podem ser comercializados no mercado negro, mas o controle deles depende única e exclusivamente de você.

De acordo com uma recente pesquisa da Avast, a grande maioria dos brasileiros possui roteadores domésticos configurados com senhas de acesso extremamente fáceis de serem quebradas, como data de aniversário, endereço da casa, etc. Portanto, se você quer se proteger, comece configurando a senha do seu roteador de maneira eficaz e, de preferência, troque-a regularmente, de cada 3 a 6 meses.

Se for usar a internet de amigos ou em wi-fi aberta, utilize uma VPN (Virtual Private Network), que criptografa todos os dados do seu aparelho. Assim, se a internet que você estiver conectado for atacada, seu dispositivo e dados estarão seguros.

Por fim, utilize um software de segurança em seu computador e suspeite de qualquer programa que lhe for oferecido para ser baixado online. Antivírus como da Avast, por exemplo, possui o Sandbox, uma área virtual onde você pode baixar programas suspeitos sem perigo ao seu disco rígido.

Enfim, o ataque ao governo norte-americano pode ter sido assustador, mas não foi fácil. Portanto, dificulte a vida de cibercriminosos tendo uma postura online mais ativa e segura.

 

Comments off
29, maio, 2015

A maior ameaça das pequenas e médias empresas pode estar na mesa ao lado

Este artigo é uma versão do que foi publicado em Silicon India.

Ensine os seus funcionários sobre segurança em seus dados.

Empregados desleixados, não os hackers, são a principal ameaça à segurança dos dados da sua empresa.

As ameaças à segurança empresarial crescem rapidamente, tornando difícil selecionar apenas uma delas como sendo a vilã das pequenas e médias empresas.

Pelas ameaças que vimos no passado e pelas que prevemos para o futuro, aprendemos que os malwares podem causar danos ao seu negócio da mesma forma que as decisões humanas erradas. Por isso, é vital que os pequenos e médios empresários conversem sobre as possíveis ameaças com os seus colaboradores e compartilhem critérios de computação básicos com eles. Mas, ainda mais importante, implementem uma robusta solução de segurança que previna os perigos antes que eles se tornem uma ameaça.

Aproveitando-se da natureza humana: a engenharia social

Os hackers sabem que é próprio da natureza humana cometer erros, por isso é que frequentemente se voltam para a engenharia social. A engenharia social é uma tática que pretende enganar as pessoas e leva-las a revelar informações pessoais como os seus dados de login, ou a executar certas ações como baixar um malware disfarçado em um anexo ou link.

Os emails phishing são uma forma popular de engenharia social e, se você não contar com proteção antiphishing, podem se infiltrar facilmente dentro do email dos seus empregados, disfarçados em uma nova oferta, promoção ou até mesmo de um cliente. As campanhas phishing aparecem de várias formas: podem utilizar a tática de ameaçar as pessoas para que acreditem que estão correndo perigo ou que ganharam um prêmio.

Nos últimos meses, vimos Trojans como o Pony Stealer e o Tinba voltarem a atacar. Tanto o Pony Stealer quanto o Tinba tentavam convencer as pessoas que elas haviam ganhado um prêmio em dinheiro e deviam baixar um comprovante (invoice) que, naturalmente, não era um verdadeiro comprovante, mas um Trojan.

Cair em fraudes phishing pode ter efeitos devastadores aos negócios. Eles podem não só roubar informações pessoais, mas também atacar sistemas de Pontos de Venda (PoS) para roubar informações financeiras dos seus clientes, o que afeta não só o seu negócio (e a sua reputação), mas também os seus clientes.

Falta de consciência de segurança: bom para os hackers, mau para o seu negócio

Não tomar as precauções de segurança, como, por exemplo, utilizar senhas fracas ou ignorar as atualizações de segurança, é outra fraqueza humana da qual os cibercriminosos se aproveitam para invadir contas e redes. Para obter o controle dos sistemas internos, os hackers podem testar senhas comuns ou fracas ou simplesmente entrar com as credenciais de administrador diretamente ao hardware (leia-se aos roteadores).

Evitar atualizar os programas de segurança é outra porta para os hackers, abrindo brechas para que eles entrem. Da mesma forma, conectar-se a redes WiFi públicas e abertas em viagens de negócio é como mandar um convite pessoal aos hackers para bisbilhotarem em seu negócio.

As pequenas e medias empresas (na Índia) estão com a tecnologia pronta. Os hackers também.

De acordo com a empresa de consultoria indiana, Zinnov, 20% das 50 milhões de pequenas e médias empresas da Índia estão prontas tecnologicamente.

Os cibercriminosos já repararam isto e provavelmente já preparam os seus planos. E isto é exatamente o que você também tem que fazer.

Defina as regras de segurança básicas para os seus empregados, ensine-os sobre as possíveis ameaças e tenha certeza de que eles entenderam quão importante é o papel deles na segurança do seu negócio. Por exemplo, seus colaboradores devem ser incentivados a escolher senhas fortes para os seus aparelhos e contas; manter os seus programas atualizados (caso não seja algo que você já gerencia de forma centralizada) e utilizar uma VPN quando se conectarem a redes sem fio inseguras (públicas ou abertas).

Naturalmente, você não pode se apoiar somente nos seus funcionários para proteger o seu negócio: as pessoas humanas sempre comentem erros. Para proteger o seu negócio e fornecer uma rede segura aos seus funcionários, você deve contar com uma solução de segurança corporativa adequada. As pequenas e médias empresas devem procuram soluções de segurança que incluam funções antiphishing, um firewall para controlar o tráfego da rede, além de proteção específica para o servidor. Se os seus colaboradores têm de viajar com frequência, também faz sentido implementar uma solução de rede virtual privada (VPN) nos seus computadores, smartphones e tabletes. Caso se conectem a redes WiFi abertas em aeroportos, hotéis ou cafeterias, uma VPN pode ser utilizada para criptografar os dados corporativos e protege-los dos hackers.

Como todo o ser humano comete erros, você não pode confiar nos seus empregados para que adotem e gerenciem as soluções de segurança por si mesmos. Recomenda-se escolher a solução que dê poderes para que você gerencie remotamente a segurança dos computadores dos seus empregados.

Se o seu negócio for um dueto ou um exército de 2.000 pessoas, é essencial a conscientização lado a lado com a tecnologia de segurança.

Comments off
22, maio, 2015

Recurso de segurança garante as suas conexões de rede tanto em locais públicos como em casa

Função de segurança WiFi protege as suas conexões de rede tanto em locais públicos como em casa

Proteja as suas conexões WiFi com a função de segurança do Avast.

A função de Segurança WiFi está disponível aos usuários Android dentro do aplicativo Avast Mobile Security bem como no Avast SecureMe para iOS. O trabalho desta função é escanear as conexões WiFi e alertar você caso encontre algum problema de segurança: roteadores com senhas fracas, redes sem fio inseguras e roteadores com falhas que podem ser aproveitadas por hackers.

Descobrimos que 22% dos nossos usuários utilizam a função de Segurança WiFi, o que faz dela a segunda função mais utilizada no Avast Mobile Security.

“O Avast SecureMe e o Avast Mobile Security oferecem uma solução simples, com um único toque, para descobrir redes seguras onde estamos protegidos de ter os nossos dados pessoais roubados”, disse Jude McColgan.

O escaneamento da Segurança WiFi informa você se algum problema for detectado

De todos os nossos usuários que testaram a função Segurança WiFi, mais de 10% descobriram algum tipo de problema, como o uso de senhas não criptografadas ou um roteador fraco que pode sofrer ataques. A função de Segurança WiFi verifica no momento 4 elementos chave:

  • Redes sem fio não criptografadas e, portanto, inseguras
  • Redes com criptografia fraca
  • Senhas fracas nos roteadores
  • Roteadores com problemas de segurança conhecidos

Qual o risco dos meus dados pessoais serem roubados?

Se você utiliza uma rede WiFi insegura (leia-se pública, aberta ou gratuita) quando entra no seu banco, por exemplo, os ladrões podem capturas as suas credenciais de login e utilizá-la para fraudes. Em redes WiFi desprotegidas, os ladrões também podem ver os seus emails, o seu histórico de navegação e os seus dados pessoais, a menos que você utilize uma conexão segura e criptografada como uma rede privada virtual (as famosas VPN). Veja o nosso experimento mundial de hacking WiFi para descobrir quão disseminado é o problema.

A Segurança WiFi oferece duas soluções para proteger contra o ataque de malwares

Depois que a função Segurança WiFi Security escaneou o seu aparelho e descobriu algum problema, você verá duas opções:

1) Abrir o Avast SecureLine VPN

2) Clicar no botão ‘Como resolver’

A primeira das duas opções está pensada para ser utilizada ao se conectar com redes públicas. É o ideal para cafeterias, aeroportos e hotéis. Da mesma forma, os usuários podem escolher esta opção para solucionar ameaças que foram detectadas em sua própria rede em casa. Neste último caso, você será redirecionado ao site do Avast para configurar o seu roteador de forma segura.

A Segurança WiFi informa você caso algum problema de Segurança for detectado A função oferece duas soluções para os problemas detectados Guiaremos você por um processo de segurança do seu roteador no site do Avast

Como obter a função de Segurança WiFi no meu aparelho?

O Avast SecureMe estará disponível em breve na Loja iTunes. Antes de ser lançado, o aplicativo estará em fase de testes beta através de convites. Por favor, registre-se aqui e a equipe do SecureMe irá entrar em contato com você.
Se você já baixou o Avast Mobile Security para Android então já pode começar a utilizar a função de Segurança WiFi (você encontrará o botão “Segurança WiFi” no painel do aplicativo). Para aqueles que ainda não baixaram o Avast Mobile Security, ele está disponível na Loja Google Play.

Comments off
14, abril, 2015

WiFi públicas e abertas: risco de privacidade e roubo de identidade

A conveniência de utilizar uma rede WiFi pública e aberta vale o risco do roubo de identidade? A maioria das pessoas pensam que sim

Em uma pesquisa recente, descobrimos que 6% dos norte-americanos protegem seus dados utilizando uma rede virtual privada (VPN) quando estão conectados a uma rede WiFi pública com seus smartphones e tablets. Isto mostra que 94% estão desprotegidos. Não há dados da utilização de VPN no Brasil, mas estima-se que a porcentagem seja mínima, muito menor do que nos Estados Unidos. Por que isto ocorre?

As pessoas não sabem dos riscos de utilizar redes WiFi públicas inseguras?

Evitar a cobrança de taxas de utilização de dados móveis ou a conveniência de não utilizar uma senha são coisas mais importantes do que os dados dos seus aparelhos?

As pessoas não sabem que existe uma proteção disponível?

Está todo mundo assustado que não vai entender como utilizar uma VPN porque o nome soa algo técnico e muito avançado?

A verdade sobre as redes WiFi públicas e abertas

A verdade é que utilizar redes WiFi desprotegidas pode custar ainda mais caro à sua privacidade e ter a sua identidade digital roubada se você não estiver protegido(a) com um aplicativo de Rede Privada Virtual (VPN). Isto acontece porque as redes inseguras, aquelas que não exigem o registro ou uma senha, dão aos cibercriminosos um fácil acesso às informações pessoais.

“Na medida em que o armazenamento de dados na nuvem se torna cada vez mais popular e a procura por dedes WiFi gratuitas continua a crescer, as redes abertas – que não requerem senhas – passam a ser um grande risco aos consumidores desprotegidos, comprometendo seus dados pessoais privados”, disse Jude McColgan, presidente da Divisão Móvel da Avast.

“A maioria das pessoas não sabe que todas as informações pessoais dos seus aparelhos móveis estão indefesas em redes WiFi públicas se forem utilizadas sem proteção. Estas redes se tornam um fácil ponto de entrada para que hackers ataquem milhões de pessoas todos os dias”.

Pesquisa sobre uso de WiFi

O Avast pode proteger você e não é difícil de usar nem caro

“Infelizmente, ser um hacker não é algo complicado: há ferramentas disponíveis na internet que qualquer um pode utilizar para roubar dados pessoais”, disse Ondrej Vlček, COO da Avast. “O Avast SecureLine VPN permite que os usuários naveguem anonimamente e com segurança, especialmente ao utilizarem redes WiFi abertas”.

O Avast SecureLine VPN protege as suas conexões na internet com uma criptografia de nível militar e esconde o seu endereço IP. Se isto parece blá-blá-blá para você, vamos dizer em outras palavras: a nossa proteção torna o seu aparelho invisível aos cibercriminosos. Além disso, utilizar uma VPN oculta o seu histórico de navegação e, portanto, ninguém pode monitorar o seu comportamento online. Nós garantimos isto e o aplicativo é muito fácil de utilizar.

O Avast SecureLine VPN está disponível para telefones e tablets Android na loja Google Play e para aparelhos iOS na Apple App Store. Nossa VPN também está disponível para computadores Windows.

25, março, 2015

O seu celular pode ser hackeado: uma amostra foi feita no Mobile World Congress

Smartphones brilhantes, relógios espetaculares e equipamentos futurístas… O melhor da tecnologia móvel foi lançado no Mobile World Congress em Barcelona há duas semanas. Mas o que chamou atenção de muita gente foi uma experiência de hackeamento de smartphones feita no estande da Avast.

A equipe de segurança móvel do Avast mostrou como é fácil hackear smartphones e tablets durante o evento.

Qualquer estudante consegue

Filip Chytry, um pesquisador de malware móvel que você já deve ter conhecido se você visita o nosso blog com frequência, configurou um ponto de WiFi no estande da Avast que permitia que os visitantes rastreassem a atividade online de qualquer outro aparelho que também estivesse conectado naquela rede.

“O site permite que capturemos senhas, mensagens e outras informações que as pessoas digitam em sites, e Chytry também pode pode criar falsos cadeados verdinhos para os sites de login do Gmail e do Facebook, parecendo indicar que a conexão é segura…”, informou o Bloomberg Business no seu artigo The Easiest Way to Get Hacked: Use Phone at Phone Show (A forma mais fácil de ser hackeado: utilize o telefone no Congresso).

A demonstração do hackeamento mostra o que o Avast encontrou durante uma experiência global da fragilidade de redes públicas de WiFi que foi feita pouco antes do MWC.

“O estudo mostrou que as pessoas em todo o mundo preferem esmagadoramente conectar-se a redes WiFi inseguras e desprotegidas em vez de redes protegidas por senhas”, escreveu o Help Net Security em Global experiment exposes the dangers of using Wi-Fi hotspots (Experimento mundial mostra o perigo de utilizar hotspots WiFi).

Avast at MWC15

A maioria das pessoas se conecta a redes WiFi públicas
complemente inseguras sem pensar duas vezes

Técnicos de segurança da Avast viajaram por 9 cidades em 3 continentes e descobriram que os usuários de WiFi na Ásia são os mais sujeitos a ataques. Chicago e Londres são as cidades mais vulneráveis nos Estados Unidos e na Europa. A porta-voz da Avast, Marina Ziegler, disse à revista E&T Engineering and Technology, “… em Londres, descobrimos que 54% dos roteadores tem criptografia fraca e são de fácil acesso aos hackers”.

“Isto significa que se um hacker entrar em um pub, ele pode acessar as configurações do roteador e, por exemplo, redirecionar o tráfego através de um servidor malicioso”, disse Chytry. “É muito fácil. Qualquer estudante pode fazer isto”.

Comments off
19, março, 2015

Novo aplicativo Avast SecureMe protege os usuários iOS e Android do hackeamento de WiFi

No recente Mobile World Congress em Barcelona, a Avast lançou um novo aplicativo: Avast SecureMe.

Avast na MWC15

A Avast lançou o aplicativo SecureMe para iOS e Android no Mobile World Congress 2015

O Avast SecureMe é o primeiro aplicativo no mundo que dá aos usuários de iPhone e iPad uma ferramenta para proteger seus aparelhos e dados pessoas quando estão conectados a redes WiFi. O aplicativo gratuito localiza automaticamente as redes WiFi e informa aos usuários quais delas são seguras. Uma vez que muitos usuários se conectam sem saber o estado da rede WiFi – se ela é protegida ou não – o Avast SecureMe irá criar uma conexão segura para mantê-los protegidos.

“As redes WiFi públicas e os roteadores inseguros se tornaram os principais alvos dos hackers, o que traz novos riscos para os smartphones e tablets, e mesmo os aparelhos iOS não estão imunes”, disse Jude McColgan, Presidente da Divisão Móvel da Avast.

O Avast SecureMe estará disponível para um teste beta através de convites nas próximas semanas. Por favor, cadastre-se para o teste aqui e a equipe do SecureMe entrará em contato com você. O aplicativo informa você se encontrar algum problema de segurança O Avast SecureMe inclui uma função chamada Segurança WiFi. (Esta função também está disponível aos usuários Android no aplicativo Avast Mobile Security que pode ser baixado na Google Play.) As pessoas que utilizam redes WiFi abertas em áreas públicas como aeroportos, hotéis ou cafeterias irão gostar muito desta função. A tarefa do recurso Segurança WiFi é escanear as comunicações WiFi e informar você caso encontre alguma atividade suspeita: roteadores com senhas fracas, redes wireless inseguras, roteadores com vulnerabilidades que podem ser exploradas por hackers.

“O Avast SecureMe e o Avast Mobile Security oferecem aos usuários uma solução simples, com um só toque, para encontrar e escolher redes seguras e se protegerem das ameaças de terem os seus dados pessoais roubados”, disse McColgan.

Qual é o risco de que meus dados pessoais sejam roubados? Se você utiliza uma rede WiFi insegura ao entrar no site do seu banco, por exemplo, os ladrões poderão capturar os seus dados de login e roubar sua identidade digital. Em redes WiFi desprotegidas, os cibercriminosos podem também facilmente ver os seus emails, histórico de navegação e dados pessoais caso você não estiver utilizando uma conexão segura e criptografada como uma rede privada virtual (VPN). Leia mais sobre o nosso experimento mundial sobre hackeamento de redes WiFi para ver como a ameaça está realmente espalhada por todo o mundo.

O aplicativo SecureMe inclui uma VPN para proteger a sua privacidade O Avast SecureMe contém uma VPN para proteger as suas comunicações online quando você quer que elas sejam privadas, especialmente ao verificar emails, utilizando o seu banco e até mesmo visitando os sites das suas redes sociais favoritas. O Avast SecureMe conecta-se automaticamente com uma VPN segura ao detectar que você entrou em uma rede WiFi pública e torna invisíveis todos os seus dados. Para uma melhor conveniência, você pode desativar a proteção em redes WiFi nas quais confia, como a sua rede doméstica. Teste Beta O Avast SecureMe para iOS estará disponível em breve na iTunes Store. Antes do seu lançamento iremos fazer um teste beta através de convites. Por favor, cadastre-se para o teste aqui e a equipe do SecureMe irá entrar em contato com você. A função Segurança WiFi está incluída no aplicativo Avast Mobile Security para Android, disponível na Google Play.

Comments off
3, dezembro, 2014

A sua rede doméstica é alvo de ataques cibernéticos

Vulnerabilidades do roteador e senhas fracas permitem que cibercriminosos acessem facilmente a sua rede doméstica.

Escaneamento de Segurança de Rede Doméstica do Avast

O seu roteador é o ponto fraco na segurança da sua rede doméstica.

O pequeno aparelho roteador – fornecido pelo seu provedor de internet ou que você comprou baratinho e se esqueceu dele – é o ponto fraco na conexão com a internet da sua casa. Muitas residências utilizam um roteador wireless para que vários aparelhos se conectem à internet, mas estes roteadores inseguros podem se tornar a fácil porta de acesso para os hackers.

Pense um momento: você sabe qual é a senha do seu roteador WiFi? Você sabia que o seu roteador WiFi tinha uma senha? Se você não tem certeza, você não está sozinho.
O que você tem a perder?

Simplesmente tudo que está no seu computador! Isto inclui as suas informações bancárias e financeiras, dados pessoais, histórico de navegação e fotos.

Por que isto se tornou um problema?

”A situação atual da segurança do roteador é uma herança dos PCs dos anos 90, com atitudes laxas em segurança combinadas com novas vulnerabilidades sendo descobertas a cada dia, criando um ambiente propício aos hackers”, disse Vince Steckler, CEO da Avast. “A principal diferença é que hoje as pessoas têm muito mais informações pessoais armazenadas nos seus aparelhos do que tinham no passado.”

Fizemos um estudo deste problema e descobrimos que 4 a cada 5 residências nos Estados Unidos correm o risco de serem atacadas através dos seus roteadores wireless. E 16% das residências que foram entrevistadas disseram que já foram vítimas de hackers.

O problema: as senhas.

O Avast descobriu que mais da metade de todos os roteadores são fracamente protegidos por uma senha padrão ou que pode ser facilmente descoberta. Quando você verificar a sua, acabará descobrindo que pode ser:

  1. admin/admin
  2. admin/senha
  3. admin/<sem senha>

25% dos consumidores pesquisados usavam uma senha “única” que continha o seu endereço, seu nome, número de telefone, nome da rua ou outros termos que podem ser facilmente adivinhados. No final das contas, não é tão melhor assim…

Qual é o risco?

Segurança da Rede Doméstica do Avast

A Segurança da Rede Doméstica do Avast escaneia sua rede à procura de vulnerabilidades.

Um dos maiores riscos de qualquer rede Wifi é o sequestro de DNS. Isto acontece quando malwares entram em seu roteador desprotegido e redirecionam secretamente você de um site conhecido, como por exemplo o do seu banco, para um site falso que se parece muito com o real. Quando você faz login, os cibercriminosos capturam os seus dados de login e os utilizam para acessar o site real. É uma coisa assustadora.

O Avast 2015 reage às falhas na rede doméstica

Para solucionar estes problemas, o Avast lançou recentemente a versão 2015, que inclui a primeira solução de segurança de rede doméstica do mundo. Ela protege os usuários das ameaças de rede incluindo o sequestro de DNS e as senhas fracas.

Abra a interface de usuário do Avast, clique em Escaneamento no menu esquerdo, escolha Escanear ameaças de rede. O Avast irá verificar o seu roteador e informará se houver problemas. Na maioria dos casos, se um problema precisar ser solucionado, o Avast irá redirecionar você para o site do fabricante do seu roteador.

A Segurança da Rede Doméstica está disponível nas versão gratuita e nas pagas do Avast. Baixe em www.avast.com.

Mais de 200 milhões de pessoas e negócios confiam nos aplicativos de segurança da Avast Software para Windows, Mac e Android. Por favor, siga-nos no Facebook, Twitter e Google+.

Comments off