Protecting over 230 million PCs, Macs, & Mobiles – more than any other antivirus

Arquivo

Textos com Etiquetas ‘VPN’
21, maio, 2015

A maioria dos brasileiros está sob risco de ataques online

Uma recente pesquisa feita com mais de 23 mil usuários de internet no Brasil, aponta que a grande maioria deles está sob alta exposição online e corre sérios riscos de sofrer ataques de vírus a qualquer momento. Isto porque, 73% dos entrevistados confessaram que acessam constantemente redes de Wi-Fi públicas sem nenhuma proteção.

smartphone e tablet

Ao tomar seu café você acessa Wi-Fi aberta sem VPN? Então, cuidado!

 

Nos últimos 5 anos houve uma proliferação dos chamados “hotspots”, os pontos de conexão à internet que são abertos à qualquer pessoa com um aparelho que possua acesso Wi-Fi. Na maioria dos casos, esses ambientes não exigem nenhum tipo de registro ou senha para o acesso online, o que dá à qualquer pessoa a possibilidade de realizar ataques em massa atingindo todos os usuários conectados àquela rede. De acordo com a pesquisa, 55% dos usuários disseram que não desligam seus transmissores de Wi-Fi, fazendo com que seus dispositivos fiquem abertos a ataques mesmo quando não estão sendo utilizados. No geral, 8 em cada 10 pessoas pesquisadas admitiram usar mensalmente Wi-Fi pública, sendo que 48% delas afirmaram fazer isso diariamente ou semanalmente. Entretanto, somente 7% utilizam algum tipo de proteção de criptografia, como um VPN (Virtual Private Network).

O VPN é um aplicativo que faz com que a sua navegação na internet ocorra em um ambiente privado, ou seja, se um cibercriminoso utilizar uma Wi-Fi aberta para infectar ou “crackear” dispositivos, ele não conseguirá ter acesso ao equipamento conectado via VPN simplesmente porque todos os dados ali estarão criptografados.

“A maioria dos brasileiros não percebe que todas as informações pessoais em seus dispositivos móveis ficam indefesas em redes Wi-Fi públicas, se usadas sem proteção. Estas redes facilitam o acesso para ataques de hackers a milhões de consumidores brasileiros diariamente”, explica Vince Steckler, CEO da Avast Software e que esteve no Brasil recentemente analisando os resultados desta pesquisa.

Preocupação com perda de logins e dinheiro 

Ainda de acordo com esta pesquisa, 28% dos respondentes disseram que ao acessar uma rede de Wi-Fi aberta têm medo de ter seus dados de login (como nome de usuário e senha) roubados, enquanto que outros 26% se preocupam em ter suas contas bancárias acessadas. Outros 17% demonstraram preocupação com seus conteúdos publicados em salas de bate-papo, e-mails e fotos privadas. Uma minoria de 16% diz não ter nada a esconder.

A Avast foi ainda mais longe e fez um experimento único no Brasil que prova a fragilidade das redes de Wi-Fi públicas em São Paulo. Seguindo o mesmo teste feito há alguns meses em 9 cidades ao redor do mundo, incluindo San Francisco, Nova York, Londres e Seul, onde através de um aparelho de monitoramento de tráfego online foi possível observar as atividades da maioria dos usuários de Wi-Fi aberta, a Avast visitou os principais pontos de Wi-Fi pública/aberta na capital paulista e descobriu que a maioria devastadora dos aparelhos conectados a essas redes podem ser facilmente hackeados.

Mais detalhes deste experimento em São Paulo serão publicados neste blog muito em breve. Portanto, mantenha-se conectado conosco – via Wi-Fi segura!

Enquanto isso vale a pergunta: como você acessa uma Wi-Fi aberta?

 

Categories: Sem categoria Tags: , , , , ,
14, abril, 2015

WiFi públicas e abertas: risco de privacidade e roubo de identidade

A conveniência de utilizar uma rede WiFi pública e aberta vale o risco do roubo de identidade? A maioria das pessoas pensam que sim

Em uma pesquisa recente, descobrimos que 6% dos norte-americanos protegem seus dados utilizando uma rede virtual privada (VPN) quando estão conectados a uma rede WiFi pública com seus smartphones e tablets. Isto mostra que 94% estão desprotegidos. Não há dados da utilização de VPN no Brasil, mas estima-se que a porcentagem seja mínima, muito menor do que nos Estados Unidos. Por que isto ocorre?

As pessoas não sabem dos riscos de utilizar redes WiFi públicas inseguras?

Evitar a cobrança de taxas de utilização de dados móveis ou a conveniência de não utilizar uma senha são coisas mais importantes do que os dados dos seus aparelhos?

As pessoas não sabem que existe uma proteção disponível?

Está todo mundo assustado que não vai entender como utilizar uma VPN porque o nome soa algo técnico e muito avançado?

A verdade sobre as redes WiFi públicas e abertas

A verdade é que utilizar redes WiFi desprotegidas pode custar ainda mais caro à sua privacidade e ter a sua identidade digital roubada se você não estiver protegido(a) com um aplicativo de Rede Privada Virtual (VPN). Isto acontece porque as redes inseguras, aquelas que não exigem o registro ou uma senha, dão aos cibercriminosos um fácil acesso às informações pessoais.

“Na medida em que o armazenamento de dados na nuvem se torna cada vez mais popular e a procura por dedes WiFi gratuitas continua a crescer, as redes abertas – que não requerem senhas – passam a ser um grande risco aos consumidores desprotegidos, comprometendo seus dados pessoais privados”, disse Jude McColgan, presidente da Divisão Móvel da Avast.

“A maioria das pessoas não sabe que todas as informações pessoais dos seus aparelhos móveis estão indefesas em redes WiFi públicas se forem utilizadas sem proteção. Estas redes se tornam um fácil ponto de entrada para que hackers ataquem milhões de pessoas todos os dias”.

Pesquisa sobre uso de WiFi

O Avast pode proteger você e não é difícil de usar nem caro

“Infelizmente, ser um hacker não é algo complicado: há ferramentas disponíveis na internet que qualquer um pode utilizar para roubar dados pessoais”, disse Ondrej Vlček, COO da Avast. “O Avast SecureLine VPN permite que os usuários naveguem anonimamente e com segurança, especialmente ao utilizarem redes WiFi abertas”.

O Avast SecureLine VPN protege as suas conexões na internet com uma criptografia de nível militar e esconde o seu endereço IP. Se isto parece blá-blá-blá para você, vamos dizer em outras palavras: a nossa proteção torna o seu aparelho invisível aos cibercriminosos. Além disso, utilizar uma VPN oculta o seu histórico de navegação e, portanto, ninguém pode monitorar o seu comportamento online. Nós garantimos isto e o aplicativo é muito fácil de utilizar.

O Avast SecureLine VPN está disponível para telefones e tablets Android na loja Google Play e para aparelhos iOS na Apple App Store. Nossa VPN também está disponível para computadores Windows.

19, março, 2015

Novo aplicativo Avast SecureMe protege os usuários iOS e Android do hackeamento de WiFi

No recente Mobile World Congress em Barcelona, a Avast lançou um novo aplicativo: Avast SecureMe.

Avast na MWC15

A Avast lançou o aplicativo SecureMe para iOS e Android no Mobile World Congress 2015

O Avast SecureMe é o primeiro aplicativo no mundo que dá aos usuários de iPhone e iPad uma ferramenta para proteger seus aparelhos e dados pessoas quando estão conectados a redes WiFi. O aplicativo gratuito localiza automaticamente as redes WiFi e informa aos usuários quais delas são seguras. Uma vez que muitos usuários se conectam sem saber o estado da rede WiFi – se ela é protegida ou não – o Avast SecureMe irá criar uma conexão segura para mantê-los protegidos.

“As redes WiFi públicas e os roteadores inseguros se tornaram os principais alvos dos hackers, o que traz novos riscos para os smartphones e tablets, e mesmo os aparelhos iOS não estão imunes”, disse Jude McColgan, Presidente da Divisão Móvel da Avast.

O Avast SecureMe estará disponível para um teste beta através de convites nas próximas semanas. Por favor, cadastre-se para o teste aqui e a equipe do SecureMe entrará em contato com você. O aplicativo informa você se encontrar algum problema de segurança O Avast SecureMe inclui uma função chamada Segurança WiFi. (Esta função também está disponível aos usuários Android no aplicativo Avast Mobile Security que pode ser baixado na Google Play.) As pessoas que utilizam redes WiFi abertas em áreas públicas como aeroportos, hotéis ou cafeterias irão gostar muito desta função. A tarefa do recurso Segurança WiFi é escanear as comunicações WiFi e informar você caso encontre alguma atividade suspeita: roteadores com senhas fracas, redes wireless inseguras, roteadores com vulnerabilidades que podem ser exploradas por hackers.

“O Avast SecureMe e o Avast Mobile Security oferecem aos usuários uma solução simples, com um só toque, para encontrar e escolher redes seguras e se protegerem das ameaças de terem os seus dados pessoais roubados”, disse McColgan.

Qual é o risco de que meus dados pessoais sejam roubados? Se você utiliza uma rede WiFi insegura ao entrar no site do seu banco, por exemplo, os ladrões poderão capturar os seus dados de login e roubar sua identidade digital. Em redes WiFi desprotegidas, os cibercriminosos podem também facilmente ver os seus emails, histórico de navegação e dados pessoais caso você não estiver utilizando uma conexão segura e criptografada como uma rede privada virtual (VPN). Leia mais sobre o nosso experimento mundial sobre hackeamento de redes WiFi para ver como a ameaça está realmente espalhada por todo o mundo.

O aplicativo SecureMe inclui uma VPN para proteger a sua privacidade O Avast SecureMe contém uma VPN para proteger as suas comunicações online quando você quer que elas sejam privadas, especialmente ao verificar emails, utilizando o seu banco e até mesmo visitando os sites das suas redes sociais favoritas. O Avast SecureMe conecta-se automaticamente com uma VPN segura ao detectar que você entrou em uma rede WiFi pública e torna invisíveis todos os seus dados. Para uma melhor conveniência, você pode desativar a proteção em redes WiFi nas quais confia, como a sua rede doméstica. Teste Beta O Avast SecureMe para iOS estará disponível em breve na iTunes Store. Antes do seu lançamento iremos fazer um teste beta através de convites. Por favor, cadastre-se para o teste aqui e a equipe do SecureMe irá entrar em contato com você. A função Segurança WiFi está incluída no aplicativo Avast Mobile Security para Android, disponível na Google Play.

Comments off
4, setembro, 2014

Porque vírus para celular não é uma lenda

Outro dia um amigo meu comparou a existência de vírus para celular com o Saci Pererê: “todo mundo já ouviu falar, mas ninguém nunca viu nenhum”. Apesar desta ser uma boa “tirada”, ela não é de nenhuma maneira engraçada. Aliás é um tanto quanto trágica. Se você nunca viu, não significa que não existe.

new-AMSpost_img-300x300

Quer evitar ataques ao seu celular? Baixe aplicativos somente em lojas oficiais

Há indícios de que programas maliciosos começaram a se alastrar em telefones móveis há mais de uma década, ou seja, muito antes dos famosos smartphones darem as caras. A diferença é que, naquela época, usávamos nossos celulares “só” para telefonar, ou no máximo mandar algumas mensagens de texto. Hoje o telefone móvel é um computador de bolso. Temos lá nossas vidas: agendas de contato, diários, planilhas de Excel, emails, acesso às redes sociais, podemos gerenciar lá nosso dinheiro, pagamentos e usos de cartões de crédito e débito, consultamos GPS e endereços, deixando lá o histórico de nossas rotas diárias, etc. Esqueci alguma coisa?

Acredito que sim. Caro leitor, me ajude nessa! O que mais podemos fazer com o celular? E depois eu pergunto: você acha que todas essas informações armazenadas em um único local não chamaria a atenção de cibercriminosos?

O problema é que, às vezes, você instala um aplicativo que não parece ser malicioso, mas que do nada passa a atacá-lo. Isso geralmente ocorre ao baixar programas de lojas não oficiais, mas pode acontecer também que um de seus contatos foi quem cometeu o equívoco de instalar um aplicativo de risco e, depois de contaminado, passa a enviar malwares para você via SMS.

“Enquanto pode demorar um tempo para criadores de malware para celular burlar lojas oficiais e suas políticas de venda, há maneiras menos maliciosas dos desenvolvedores de aplicativos nocivos tomar vantagem do mercado”, explica Filip Chytry, Analista de Malware da avast!. Segundo ele, existe uma “linha fina” entre malwares maliciosos e não maliciosos, fazendo com que os usuários baixem um programa nocivo que não causa danos de imediato, mas que pode a qualquer momento atacar o próprio usuário ou telefone de alguém de sua lista de contatos.

Em outras palavras, você pode estar carregando um Saci Pererê em seu smartphone sem saber e acha que está tudo certo. Portanto, além de instalar um antivírus no seu aparelho, tome cuidado com a maneira como você o usa. Procure utilizar somente lojas oficiais para baixar aplicativos. Se você usa Android, faça downloads somente no Google Play, para iPhone utilize AppleStore.

Outro detalhe, cuidado ao acessar a internet no seu celular via uma wi-fi aberta/pública, ou seja, em shopping centers, estádios de futebol, etc. Se um ataque ocorrer à esta rede, seu telefone poderá ser facilmente atingido sem você nem mesmo notar. E isso vale também para usuário de iOS. A sugestão para driblar este obstáculo é a instalação de um VPN (Virtual Private Network) no aparelho, além de um antivírus confiável.

Não substime o poder de fogo de hackers ao redor do mundo. Eles podem parecer verdadeiras lendas, mas existem e estão mais próximos do que você imagina.

Obrigado por utilizar o avast! Antivírus e por recomendar-nos aos seus amigos e familiares. Encontre as últimas notícias, divirta-se, participe de concursos e muito mais no Facebook,TwitterGoogle+ e Instagram. Dono do próprio negócio? Descubra mais sobre os nossos produtos corporativos.

Comments off
25, agosto, 2014

Funcionários de pequenas empresas que viajam a negócios estão sob risco de perda de dados comerciais

Ainda me lembro da época em que participava de eventos pelo Brasil e que dependia de internet a cabo para acessar meus emails e me conectar com minha empresa. Uma das melhores organizações neste sentido era a do Salão do Automóvel, em São Paulo, onde até mesmo computadores modernos ficavam à nossa disposição. Entretanto, hoje em dia podemos acessar a internet usando nossos próprios computadores de qualquer lugar via wi-fi públicas: nos aeroportos, em restaurantes, shopping centers, etc. Porém, o que deveria ser uma “mão na roda” para empresários e executivos, pode se tornar um verdadeiro pesadelo.

travel tipsPT1

Isso porque, atualmente hackers podem facilmente realizar ataques a essas wi-fi abertas e invadir não só as redes especificamente, mas os computadores, tablets e telefones de milhões de pessoas conectadas a elas. O cenário é bem simples: você possui uma microempresa com mais ou menos 10 funcionários. Dois deles realizam viagens constantes pelo país ou dentro do seu estado, ou mesmo fazem visitas diárias a clientes da sua própria cidade; ou seja, na linguagem popular: “trabalham na rua” e seus computadores e telefones são ferramentas de trabalho essenciais. Ao chegarem a um aeroporto, hotel ou restaurante, seus funcionários decidem enviar “aquele” relatório importantíssimo sobre as vendas do mês ou uma informação sigilosa de seus clientes via email e se conectam a uma wi-fi pública para isso. Sem se preocupar com o que está por trás do gerenciamento desta internet, eles terminam o trabalho e seguem para o próximo compromisso, mas mal sabem que suas máquinas foram vistoriadas, contaminadas e, em alguns casos, tiveram suas informações furtadas. Cada vez que eles acessam a internet via wi-fi pública, o risco de furto de dados se torna iminente!

Duvida que isto seja possível? Então leia a Cartilha de Segurança para Internet publicada pela Cert (Centro de Estudos, Respostas, e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil) para ter mais informações. Nesta cartilha, há sugestões de como se proteger ao usar conexões públicas, mas no geral, os grandes problemas enfrentados por micros e pequenas empresas para combater esse problema são: (1) estabelecimento do sistema de proteção; (2) a manutenção do mesmo; (3) a utilização desse sistema por parte do funcionário. Isso porque até bem pouco tempo atrás era necessário contar com a ajuda de um administrador de rede para este trabalho, ou seja, alguém com conhecimento mais técnico de informática e computação no geral para fazer esta proteção funcionar.

Como explicamos por aqui anteriormente, hoje em dia micros e pequenos empresários possuem tecnologias ao seu dispor que facilitam o gerenciamento da segurança de redes comerciais sem a necessidade de ter um profissional diretamente responsável por isso. O mesmo ocorre com relação ao uso de internet pública. Hoje em dia, uma das melhores soluções é a instalação de uma VPN (Virtual Private Network) nos computadors e telefones de seus funcionários para que eles possam acessar a internet em locais remotos e em wi-fi públicas, mas ao mesmo tempo impede qualquer hacker de realizar ataques diretos aos aparelhos de seus funcionários. E mais, o uso da VPN é bem simples, basta apertar um botão que ela já começa a funcionar, ou seja, não necessita da ajuda de um administrador de TI (Tecnologia da Informação) para rodar e proteger seus dados. Lembre-se que o furto online de informações comerciais de micros e pequenas empresas tem aumentado muito nos últimos anos, pois hackers sabem que enfrentarão menos dificuldades nesses locais do que durante ataques a multinacionais de grande porte que possuem um sistema complexo de segurança de dados. Portanto, a dica é: procure pela melhor VPN no mercado e obrigue seus funcionários a usá-la diariamente, só assim a conexão à wi-fi pública será segura o bastante para impedir o furto de seus dados comerciais.

Obrigado por utilizar o avast! Antivírus e por recomendar-nos aos seus amigos e familiares. Encontre as últimas notícias, divirta-se, participe de concursos e muito mais no Facebook,TwitterGoogle+ e Instagram. Dono do próprio negócio? Descubra mais sobre os nossos produtos corporativos.

Comments off
22, agosto, 2014

Novos métodos de malware ataques a smartphones começam a ganhar força

No mês passado publicamos aqui alguns dados que mostram o crescimento do uso do celular no Brasil debatendo uma frase do vice-presidente do Facebook na América Latina, Alexandre Hohagen, que disse em 2012 que o futuro da internet será o celular. De acordo com relatórios do governo federal (também publicados no texto mencionado), a internet móvel cresceu 416% entre 2010 e 2014 no Brasil. Esse salto não foi apenas visto em nosso país, mas no mundo todo, abrindo espaço para hackers e crackers explorarem a vida virtual que carregamos em nossos bolsos!

crystal ball 1

Intercepção da comunicação entre servidores de aplicativos para celulares e BTS pode se tornar a mais nova forma de ataque a telefones móveis

Não há dúvidas nenhuma de que ataques de vírus a telefones móveis ainda estão passando por uma fase inicial de vida, mas o “embrião” que surgiu em 2007 cresceu, ganhou forma e nasceu. Hoje já é um pequeno bebê, capaz de entender o mundo ao seu redor. E o pior, assim como outra criança na sua idade, não conhece os perigos e está disposto a tudo para conseguir o que quer.

Por outro lado, o celular se tornou parte de nós mesmos. Há quem não consiga sair de casa sem ele e, quando sai, sente um vazio tremendo, como se estivesse andando pelado pelas ruas. É nele que hoje em dia acessamos nossas redes sociais, lemos livros e jornais, assistimos vídeos e (o mais importante), pagamos nossas contas. Ou seja, muita informação importante que hackers ao redor do mundo não podem deixar de explorar.

De acordo com Filip Chytry, Malware Analista na Avast antivírus, uma nova forma de ataque será através da comunicação entre os servidores dos aplicativos e os BTSs (Base Transceiver Stations), ou seja, alguém invade a comunicação ente o servidor e o BTS e pode ter acesso a qualquer conteúdo. “Os ataques feitos por intermediários nessa comunicação via servidores dos aplicativos significa que hackers de smartphones poderão redirecionar a comunicação entre o usuário e o servidor ou até mesmo infectar o aparelho instalando nele vírus através do aplicativo”, descreve Chytry.

Se este tipo de técnica realmente se firmar, as possibilidades de ataques serão imensas. “Hackers poderão restaurar detalhes bancários se eles conseguirem interceptar a comunicação do usuário com o aplicativo durante uma transação”, explica Chytry.

Como dito, uma investida desta ainda está em fase de prospecção, mas já está bem encaminhada! Recentemente, dois crackers conseguiram invadir telefones, tablets e computadores que rodam em iOS (o sistema operacional da Apple famoso por ser altamente seguro), através de um aplicativo bem conhecido, o Instagram. Vale lembrar que neste caso, os aparelhos explorados estavam ligados a uma internet aberta ou wi-fi pública.

Como fazer para se proteger

A pergunta que fica é: como vou me proteger? Devo passar a andar pelado, ou seja, sem meu celular?

Bem, não é necessário ir tão longe! Os bancos brasileiros possuem ótimos sistemas de segurança, embora não revelam dados oficiais de possíveis ataques online às contas de seus clientes. Entretanto, usamos muito cartão de crédito para pagamentos via internet e também publicamos e acessamos informações sensíveis em nossas redes sociais via telefone, o que pode levar a problemas ainda mais sérios.

O ideal seria criptografar todos os seus dados, mas isto ainda não impede ataques. Portanto, para garantir a sua segurança, a melhor dica é instalar um antivírus em seu telefone assim como você faz em seu PC. E mesmo que você criptografe seus dados, utilize um VPN (Virtual Private Network), assim você poderá acessar a internet em locais públicos sem riscos.

E é bom lembrar que os sistemas de antivírus hoje em dia possuem também o chamado “anti-theft”, um programa antifurto que ajuda você a localizar seu aparelho em caso de roubo, furto ou perda.

O mundo digital está se tornando cada vez mais perigoso e a vida virtual que carregamos nos bolsos através de nossos smartphones é a próxima vítima na mira de cibercriminosos. Portanto, tome uma atitude hoje para não se tornar a presa de amanhã!

Obrigado por utilizar o avast! Antivírus e por recomendar-nos aos seus amigos e familiares. Encontre as últimas notícias, divirta-se, participe de concursos e muito mais no Facebook,TwitterGoogle+ e Instagram. Dono do próprio negócio? Descubra mais sobre os nossos produtos corporativos.

Comments off
20, agosto, 2014

Aplicativo Facebook Messenger não é o maior perigo para a sua privacidade

Na semana passada, o anúncio de que o Facebook iria obrigar todos os seus usuários de Android a baixar o aplicativo Messenger para ler e enviar mensagens via telefone ou tablet na rede social mais popular do mundo causou um certo desconforto em muitas pessoas e levantou algumas dúvidas: quais são as reais intenções do Facebook com isso? A minha privacidade está em jogo?

Pessoalmente, esta comoção mundial (não foi só no Brasil que o assunto ganhou manchetes) é um tanto quanto estranha. Lembro que em 2011 quando comprei um smartphone Android para a minha esposa ela ficou muito receosa com o fato de que para baixar aplicativos ela teria de autorizar o Google (e outros donos de programas) a ter acesso ao aparelho, incluíndo seus contatos. Isso ocorre também ao baixar, por exemplo, What’s App, Viber, etc… Então, por que essa preocupação toda agora?

Novo aplicativo Facebook Messenger tem assustado muita gente. Mas ele é realmente o único perigo que corremos online?

Novo aplicativo Facebook Messenger tem assustado muita gente. Mas ele é realmente o único perigo que corremos online?

É preciso lembrar que a quantidade de dados que o Facebook possui de seus usuários na plataforma para computadores já é o bastante para deixar algumas milhões de pessoas de “calças curtas” por aí, sem contar o que pode ser adquirido via Instagram e o próprio What’s App, recentemente adquirido pela a empresa de Mark Zuckerberg. Entretanto, divulgamos diariamente a nossa rotina na web sem se preocupar com nada e achamos até legal quando recebemos 3 dígitos de joinha de gente que a gente nem sabe quem é.

Bem, a moral da história aqui é o seguinte: diante de tudo que já publicamos online e offline, o aplicativo Facebook Messanger não é o maior perigo para a nossa privacidade. Você já pensou onde vai parar aqueles formulários que você preenche para ganhar descontos em farmácias, supermercados, restaurantes, lojas online, etc? Pois é, provavelmente não!

Mas não é só isso!

Recentemente a avast! fez um teste comprando via eBay 20 telefones Android de segunda mão cujos donos teriam deletado todos dados alí contidos. Mas não demorou muito para que engenheiros da empresa conseguissem resgatar mais de 40 mil arquivos de fotos, vídeos, textos e até documentos, como um formulário de empréstimo bancário preenchido. E para este teste foi utilizado um software de recuperação de dados que qualquer pessoa pode adquirir online. Diante disso, podemos dizer que hackers não precisam de um aplicativo no Facebook para transformar sua vida em um inferno!

Mas como se proteger?

No dia a dia tome muito cuidado com formulários que você preenche. Procure manter uma lista dos locais onde você criou cartões de descontos ou fez algum pedido de reserva de produto. E caso você não queira mais os serviços daquela empresa, tente entrar em contato exigindo que seus dados sejam destruídos.

Na sua vida online, evite baixar aplicativos fora de lojas oficiais. Se possui Android, use a Google Play, para iOS faça tudo na AppleStore. É verdade que essas empresas vão coletar seus dados, mas ao menos você sabe quem são, diminuíndo os riscos de, por exemplo, um ataque de hacker ao seu aparelho.

Outro detalhe importante, muito cuidado com conexões de wi-fi abertas/públicas. Instale no seu Android ou iPhone um VPN (Virtual Private Network) para evitar que seu aparelho seja acessado mesmo que hackers ou crackers consigam invadir o wi-fi que você está conectado.

Para manter seus dados protegidos após a venda do seu Android, instale um antivírus que lhe dê controle total mesmo em caso de roubo, furto e perda do aparelho. Com esta proteção você garante que seu celular ou tablet seja monitorado online. Você pode até mesmo acionar uma sirene de alerta informando que o dispositivo foi roubado ou perdido. E, o mais importante, você pode deletar todos os seus dados para evitar que sejam usados por outras pessoas.

A realidade é uma só: privacidade online já não existe mais! É preciso agora manter-se seguro! Você já fez a sua parte?

Obrigado por utilizar o avast! Antivírus e por recomendar-nos aos seus amigos e familiares. Encontre as últimas notícias, divirta-se, participe de concursos e muito mais no Facebook,TwitterGoogle+ Instagram. Dono do próprio negócio? Descubra mais sobre os nossos produtos corporativos.

15, agosto, 2014

Furto de 1 bilhão de senhas online: o que mudou depois de 1 semana?

Na semana passada caiu como uma bomba a notícia de que crackers russos haviam furtado 1,2 bilhão de senhas afetando milhões de usuários de internet e empresas no mundo inteiro. Grande redes de televisão como CNN e BBC deram grande destaque a este incidente e vários especialistas em tecnologia da informação vieram a público para informar que devemos trocar nossas senhas imediatamente! Mas o que exatamente mudou desde que este crime foi identificado?

O maior problema do furto de senhas não é o furto em si, mas a potencial comercialização desses dados depois

O maior problema do furto de senhas não é o furto em si, mas a potencial comercialização desses dados depois

 

Para fazer um teste, deixei uma das minhas contas de e-mail com a mesma senha de antes. E pelo que me parece até agora o número de spams não cresceu e nem diminuiu. Portanto, começo a imaginar que esses russos aí já tinham minha senha de acesso muito antes desse furto ser anunciado. De qualquer forma, isso não significa que o estrago foi pequeno.

O problema não está apenas na quantidade de spams que você recebe, mas principalmente ao tipo de informação que estes criminosos podem acessar, não somente de você mas de seus contatos também. Esses dados não precisam ser utilizadas somente pelos cibercriminosos em si, mas eles podem vendê-los a outras pessoas que estão em busca de indivíduos com as suas características (ou criminosos atrás de você especificamente).

Entretanto, o mais interessante desta história é que parece que usuários de internet ainda não notaram um detalhe importante: este é o nosso mundo agora, a realidade nua e crua! Ninguém está livre de ataques online, seja após o furto de 1 bilhão de senhas ou durante um período de “paz virtual” como vivenciamos antes deste crime.

Portanto, além de voltar a apertar na mesma tecla do “mude sua senha a cada 3 ou 6 meses”, vou deixar aqui algumas dicas de como você pode evitar de se tornar alvo desses criminosos:

1)      Se você usa com frequência internet pública/aberta em shopping centers, restaurantes, universidades, etc… instale um VPN (Virtual Private Network) no seu computador, tablet ou telefone. Dessa forma, crackers e hackers dificilmente terão acesso ao seu equipamento, mesmo que consigam invadir a rede pública a qual você está conectado.

2)      Utilize um sistema de memorização de senhas para que você possa manter todos os seus acessos restritos e resguardados com um sistema de criptografia de nível militar. Além do mais, com esse serviço não é necessário ficar guardando na mente aquelas dezenas de senhas que você tem para cada site, email, registro, etc.

3)      Pode parecer meio redundante, mas a dica mais importante é: instale um antivírus na sua máquina, seja ela um computador, laptop, tablet ou telefone. É incrível o número de pessoas que eu conheço e que confessam não ter antivírus em seus equipamentos. Eles dizem: “mas eu não faço nada demais com meu PC. Não baixo arquivos perigosos, não entro em sites suspeitos, blá, blá, blá”. Você pode ser a pessoa mais cuidadosa do mundo, mas a verdade é que sem um firewall, por exemplo, você sempre estará em risco de se tornar uma vítima de espionagem e furto de identidade. Adquira um antivírus que possua proteção para compras online, que atualize seus programas automaticamente, que tenha um firewall eficiente, que possa alertá-lo de emails fraudulentos, que te habilite a baixar arquivos suspeitos em um sandbox e que te ajude a restaurar seu PC em caso de ataques.

Enfim, entramos numa era digital que não tem volta. Embora o governo alemão vem pensando em arquivar seus dados mais privados na gaveta em papéis cujos conteúdos serão escritos na velha máquina de datilografar, é impossível pensar que voltaremos à época do mimiógrafo, dinheiro só em papel, pagamento de contas só no banco e computador só para jogar Enduro.

Seja precavido e tenha uma vida virtual mais segura!

Obrigado por utilizar o avast! Antivírus e por recomendar-nos aos seus amigos e familiares. Encontre as últimas notícias, divirta-se, participe de concursos e muito mais no Facebook,TwitterGoogle+ Instagram. Dono do próprio negócio? Descubra mais sobre os nossos produtos corporativos.

Comments off
18, junho, 2014

Celulares substituem radinhos de pilha nos estádios. Aparelhos móveis agora são mais visados do que nunca

Ladrão de telefone

Você já substituiu o radinho de pilha pelo celular nos estádios? Então, cuidado!

Lembro-me como se fosse hoje quando fui assistir a final da Copa Libertadores da América, em junho de 1992, no Morumbi, com meu finado tio Carlos. Ele, são paulino roxo que era, eu e meu primo, Carlinhos, chegamos ao entorno do estádio paulista por volta de 2 horas antes do jogo onde o trânsito não ia, nem vinha. Tio Carlos suava a frio e não tirava seu radinho de pilha do ouvido. Foi assim que ele mandou Carlinhos parar o carro no primeiro estacionamento no início da Avenida João Jorge Saad aos gritos: “Vamos descer e correr a pé porque tá tudo parado, já informaram aqui no rádio”.

Foi o que fizemos! Tio Carlos corria com uma mão segurando o rádio e a outra os ingressos. Eu, aos 13 anos de idade, segurava as mãos do meu primo (15 anos mais velho que eu) tentando acompanhar o passo. Nessa correria, a carteira do tio Carlos caiu no chão e alguém vindo logo atrás pegou e devolveu (em um singelo ato de honestidade), mas a verdade é que o radinho de pilha e os ingressos estavam mais seguros do que nunca!

Ontem, ao assistir pela TV a partida de futebol entre Brasil e México pela segunda rodada da Copa fiquei impressionado ao perceber que praticamente todos os torcedores filmados nas arquibancadas seguravam telefones celulares. São nesses pequenos aparelhos que hoje em dia guardamos não somente informações sobre trânsito e futebol, mas também dinheiro, identidade e ingressos dos jogos.

Não é preciso ser nenhum especialista para perceber como o telespectador mudou a maneira de assistir futebol. Não basta mais só ter a TV, é necessário também um PC, um tablet ou um celular ligado ao mesmo tempo, assim podemos participar de discussões online e manter-nos conectado com outras coisas que ocorrem ao mesmo tempo que a bola a rola.

Imagine só quanta informação sobre a nossa vida pessoal não deixamos pelo caminho durante esses “relacionamentos” online com o mundo direto do sofá de casa. E depois imagine o que pode acontecer se você, por acaso, deixar cair seu celular do bolso, assim como tio Carlos fez com a carteira, no meio da rua. Quem garantirá sua segurança e privacidade?

Vamos e convenhamos, a bem da verdade é que nessas situações dependemos de atos de honestidade, mas como não podemos confiar muito nisso, então temos de encontrar outras maneiras de manter o celular seguro, ainda mais porque hoje em dia hackers podem roubar os dados de nossos aparelhos mesmo quando estes estão em nossas mãos.

Por essa razão, o mercado de antivírus vem inovando seu portfólio de produtos e, aos poucos concentrando-se na criação de produtos voltados para a telefonia móvel. Hoje em dia você já pode ter proteção gratuita contra ataques de hackers, advertência sobre sites infectados, monitoramento do estado de segurança do seu aparelho, entre outros recursos. E, como eu disse, tudo isso de graça!

E se você ainda precisa de segurança extra, o avast! VPN, por exemplo, criptografa todas as suas atividades em WiFi aberta, garantindo assim a sua privacidade. Ou com o avast! Anti-Theft você localiza seu aparelho perdido ou roubado à distância via GPS ou WiFi, bloqueia o aparelho, recebe notificação de troca do cartão SIM e ainda ativa uma sirene de alarme.

Se tio Carlos ainda estivesse por aqui estaria com um pouco mais de 90 anos e, para ser sincero, duvido que ele teria um “smartphone” para acompanhar os jogos, na verdade, acredito que ele ainda estaria torcendo pelo São Paulo e pela Seleção através de seu inseparável radinho de pilha. Mas a realidade de hoje é muito diferente do de 20 anos atrás, e sair de casa sem o celular é quase que sair sem roupa. Portanto, manter seu aparelho móvel seguro online e offline é mais importante do que o 0 a 0 da partida de ontem. E aí fica a pergunta: como você faz isso no seu dia a dia? Mantém o celular no bolso, confia na honestidade das pessoas ou simplesmente usa um dispositivo de proteção?

Obrigado por utilizar o avast! Antivírus e por recomendar-nos aos seus amigos e familiares. Encontre as últimas notícias, divirta-se, participe de concursos e muito mais no Facebook,TwitterGoogle+ Instagram. Dono do próprio negócio? Descubra mais sobre os nossos produtos corporativos.

 

 

Comments off
11, junho, 2014

Mantenha seu telefone longe dos hackers durante a Copa

Você está viajando ao Brasil para a Copa ou indo para a praia mais próxima? Lembre-se do seu óculos escuros, um boné, protetor solar, mas não esqueça que seus aparelhos móveis também precisam de proteção.

world-cup-hackersPT

Aqui estão alguns outros itens para pôr na mala:

  • O avast! SecureLine VPN para proteger você em redes WiFi públicas
  • O avast! Mobile Security e o Anti-Theft para proteger contra os ladrões

Aquele ponto de WiFi gratuito pode trazer problemas!

Os torcedores da Copa do Mundo terão chances de encontrar redes WiFi gratuitas. Pelo menos 6 dos 12 estádios da Copa terão acesso WiFi gratuito e devem haver mais 2.300 pontos de acesso em parques, praças e estações de transporte público. Os fãs que não assistirem aos jogos diretamente podem acompanhar os resultados em seus telefones ou assistir ao vivo conectando-se em WiFi gratuitas em hotéis e bares.

“Um ataque WiFi em uma rede aberta pode levar menos de 2 segundos”, tweetou @ExtremeNetworks recentemente. Os cibercriminosos podem ter acesso e roubar seus dados pessoais quando você se conecta a essas redes desprotegidas. Ao ter a sua identidade roubada e a conta bancária “esvaziada” pode arruinar qualquer viagem, mesmo ao paraíso!

“Os alvos dos hackers são os pontos WiFi públicos, onde é fácil seguir cada movimento que os usuários fazem nessas conexões WiFi, permitindo acesso aos emails, senhas, documentos e comportamentos de navegação”, disse Vincent Steckler, CEO da AVAST Software.

Utilize um serviço VPN para assegurar que isto não aconteça. O avast! SecureLine VPN protege a sua privacidade tornando os seus logins, emails, SMS e dados de cartão de crédito completamente invisíveis aos espiões.

Você pode baixar o avast! SecureLine para o seu notebook em todos os produtos gratuitos e premium do avast!. Nós também temos o avast! SecureLine para telefones e tablets Android e iOS, para que você utilize os seus PCs, smartphones e tablets em redes WiFi inseguras enquanto viaja ou na sua cafeteria favorita.

Veja conteúdo em todo o mundo

Você deseja assistir programas ao vivo no seu PC, tablet ou celular? Que tal relaxar e assistir a um filme na Netflix? Com o uso do avast! SecureLine você pode se conectar como se estivesse em um local diferente e assistir a programas “locais” em qualquer lugar do mundo. Simplesmente escolha o país do qual deseja parecer estar conectado. As opções são Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Holanda, República Checa e Singapura.

Localize celulares roubados e perdidos com o avast! Anti-Theft

Mantenha o seu aparelho móvel seguro enquanto você está em movimento

Quando você está em uma cidade estranha, especialmente com a reputação criminal de algumas cidades brasileiras, os especialistas em viagem previnem os turistas de mostrar bens em público, como dinheiro vivo ou celulares. As pessoas podem não se sentir seguras tirando do bolso o seu telefone ou tablet para utilizar WiFi gratuita. Se acontecer de você ter o seu telefone furtado por um garoto de bicicleta ou perdê-lo na multidão, então o avast! Anti-Theft pode ajudá-lo(a) a rastreá-lo.

O avast! Anti-Theft é um programa independente incluído no avast! Free Mobile Security. Este pequeno programa irá ajudá-lo(a) a recuperar o seu telefone e a controlá-lo remotamente através de comandos via SMS ou da sua conta do avast!. Leia mais em nosso blog

Baixe o avast! Free Mobile Security da loja Google Play!

Você também pode instalar o avast! Anti-Theft como um programa separado baixando-o também da Google Play!

Obrigado por utilizar o avast! Antivírus e por recomendar-nos aos seus amigos e familiares. Encontre as últimas notícias, divirta-se, participe de concursos e muito mais no Facebook, Twitter, Google+ e Instagram. Dono do próprio negócio? Descubra mais sobre os nossos produtos corporativos.

Comments off