Protecting over 230 million PCs, Macs, & Mobiles – more than any other antivirus

Arquivo

Textos com Etiquetas ‘Segurança empresarial’
5, junho, 2015

Guia 4 Rodas e a consolidação de negócios online

Aqui neste blog geralmente falamos sobre segurança online, mas hoje decidi escrever (em forma de homenagem), sobre o fim do Guia 4 Rodas. A editora Abril anunciou que aposentará o título com 50 anos de história. O motivo? Em princípio, a internet e a maneira como as pessoas se informam hoje em dia. Em posse de aplicativos que podem ser baixados em segundos e mapas off-line que permitem buscas rápidas de destinos, percursos e dicas de turismo, o guia acabou se tornando obsoleto.

E este cenário não é uma grande novidade já que muitas revistas famosas do passado acabaram por ir à falência com a proliferação da internet e o aparecimento de dispositivos móveis que tornam extremamente fácil o acesso à informação.

IMG-private-browsing

Guiar-se durante uma volta ao mundo agora pode ser feito online

Entretanto, na verdade o que a Abril está fazendo é uma reformulação de seus títulos, inserindo o Guia 4 Rodas dentro de outras revistas, como a Viagem e Turismo, Veja e Veja São Paulo. Mas a não existência daquele “livrão estiloso” cheio de dicas deixa muito viajante com imensa nostalgia, inclusive este que vos escreve.

Lembro que quando criança meu pai tinha o guia no porta-malas de seu DelRey azul metálico, entretanto, ele que ama viajar pedindo informação em vez de usar mapas – “assim batemos um papo com o povo local e fazemos amigos”, diz ele – não abria muito o guia. Eu gostava de folheá-lo sonhando em conhecer um lugar novo, o que acabou me levando a ir morar na Austrália e na Europa, mas isto já uma outra história.

Eu ainda tento manter esta tradição de ler livros em casa, especialmente com meu filho de 4 anos que desde muito pequeno tem um contato muito próximo com a tecnologia. Mas confesso que é difícil. Qualquer viagem que fazemos lá estou eu, checando passagens e roteiros online, lendo dicas de outros viajantes e curtindo fotos e vídeos do meu próximo destino. E o melhor de tudo, carrego isso no meu bolso e não no porta-malas do meu carro.

Realmente a internet tem construído um mundo sem fronteiras, fazendo com que empresas sejam obrigadas a se reformularem para atender às expectativas de seus clientes. Com isso, ela (a internet) tem feito algumas vítimas nos últimos anos, como lojas de discos/CDs como a Virgin, ou mesmo a Blockbuster, locadora de filmes. Tem também o caso das livrarias Laselva, que em 2013 pediu recuperação judicial, embora tenha jogado a culpa em outros fatores de negócios além da internet. Mas há de se admitir que a Amazon com seu Kindle tornou a compra de livros muito mais dinâmica.

Por outro lado, nos últimos anos vimos surgir muitas novas empresas online que não só acompanharam as mudanças que a internet implementou no mundo dos negócios, mas também trouxeram algo novo. Além do Facebook, empresas como Uber, Air B&B, Alibaba etc faturam milhões (ou bilhões) online…

Revolução na segurança online

E para não dizer que não falamos de flores; digo, segurança online, a Avast acaba de lançar uma novidade que pode se tornar uma revolução nesta área: antivírus empresarial gratuito. Como todos sabemos a Avast é uma empresa 100% voltada para a internet, na verdade nascemos há 27 anos já focados em ajudar a proteger o universo online, embora naquela época a internet ainda estava engatinhando.

Entretanto, estamos sempre buscando novas áreas e possibilidades de negócios no universo online e o antivírus empresarial gratuito é uma dessas ações. E não seremos hipócritas ao dizer que fizemos isso porque “acreditamos que todo mundo merece segurança grátis blá, blá, blá”, como outros concorrentes dizem. Este passo, na verdade, vai de acordo com o que a empresa sempre se preocupou: criar uma grande base de usuários que nos ajudam a identificar um maior número de vírus de forma mais rápida para que, assim, “vacinas” sejam criadas para manter uma internet segura. Nossos produtos pagos, com recursos super sofisticados, continuarão disponíveis tanto para empresas quanto para o consumidor final.

Portanto, deixemos de lado nossas nostalgias e embarquemos todos em uma nova (r)evolução digital. Se você possui uma micro ou pequena empresa, experimente o novo Avast for Business grátis e depois volte aqui para nos dar a sua opinião do produto!

 

19, agosto, 2014

5 passos para gerenciar a segurança de dados em pequenas empresas

Em artigos anteriores sobre segurança de TI (Tecnologia da Informação) para micro e pequenas empresas, discutimos aqui a importância do “console de administração remoto” que permite o gerenciamento das atividades de vírus da rede de computadores de uma certa empresa. Também discutimos as diferenças entre a criação de uma “área de trabalho” para a criação de uma rede empresarial ou o uso de um servidor com o mesmo objetivo.

Esses artigos em si poderiam ser o bastante para explicar quais são as opções que micros e pequenos empresários possuem atualmente ao desenvolver seus “centros de segurança de TI”, ou seja, um departamento dentro da empresa que fiscalizará e combaterá ataques de vírus e furtos de dados empresariais.

Você sabe de onde seus dados empresarias vêm e para onde vão? Sem sim, ótimo. Este é somente o primeiro passo para proteger sua empresa

Você sabe de onde seus dados empresarias vêm e para onde vão? Sem sim, ótimo. Este é somente o primeiro passo para proteger sua empresa

Entretanto, decidimos em ir um pouco mais a fundo e analizar quais são os vários fatores em torno desse processo de criação do centro de segurança. E aqui vão algumas dicas:

  1. Primeiramente, responsabilize uma única pessoa por este trabalho. Este profissional não precisa ser contratado especificamente para ser o seu administrador de sistema, aliás o melhor é dar esta função a alguém já dentro da empresa que tenha bons conhecimentos de gerenciamento de negócios.
  2. Faça uma análise de seus invetários. Coloque no papel exatamente todos os computadores e software que você possui na empresa e os dados que são alí monitorados. Tente traçar os caminhos que diferentes informações tomam dentro desses canais, ou seja, de onde a informação vem e para onde e como ela vai. Por exemplo: se você possui uma loja de roupas, descreva como os dados da venda de seus produtos são inseridos no sistema, de qual tipo de computador, etc. Depois faça o mesmo com os dados de compra daquele produto. Ah, e também não se esqueça que pode ser que alguém na sua empresa (ou você mesmo) pode estar acessando seus dados empresariais via smartphones. Não esqueça de incluí-los no inventário! Dessa forma, você verá que os dados de sua empresa seguem caminhos diversos e descubrirá os riscos que corre em cada passo.
  3. Faça uma análize das vulnerabilidades do seu sistema. A palavra sistema aqui significa a forma como a sua empresa trabalha e não tão somente sistema da informação (o que está diretamente ligado a TI). Neste processo, é importante entender como seus funcionários utilizam a rede de computadores da sua empresa e como dados são inseridos manualmente. Veja quais são as potenciais brechas que podem levar a, por exemplo, um ataque de “engenharia social”, onde a troca de informações online revelam detalhes importantes que podem ser usados para furto de identidade, dados e dinheiro. Por exemplo, a divulgação de uma senha em redes sociais por parte do empregado.
  4. Verifique e atualize seus programas constantemente. Uma das maneiras mais fáceis de hackers e crackers invadirem sistemas empresariais é através de software desatualizados. Recentemente a Windows anunciou que não daria mais suporte ao XP, obrigando muita gente a migrar para uma versão mais nova. Entretanto, dificilmente você ouvirá anuncios como esses vindo de firmas menores, portanto, mantenha o olho aberto no tipo de software que você está usando, não é só Windows que é importante: JavaScript, sistema de CRM, etc são tão importantes quanto seu sistema operacional.
  5. Pense em criptação de dados. Uma maneira segura de armazenar dados é através da criptografia, pois com ela letras e palavras são embaralhadas dificultando a leitura dos mesmos. Uma simples pesquisa online usando expressões como “empresas de criptografia” lhe dará várias opções de serviços.

Seguindo os passos acima você terá em mãos o seu sistema e saberá quais são os locais mais vulneráveis dentro do seu sistema e o que fazer para torná-los mais seguros. Entretanto, a história não acaba aí. Para que tudo esteja sempre sob controle é preciso instalar um antivírus empresarial que lhe dará o poder de gerenciamento do seu sistema. E é aí que entra a necessidade de ter um produto com console de administração remoto, onde todas as atividades de vírus e tentativas de ataques de hackers poderão ser vistos de um único computador.

E não pense que por ser uma pequena empresa você não está em risco. Com grandes multinacionais investindo mais e mais em segurança, hackers estão a cada dia mais interessados em firmas com um número limitado de funcionários, pois sabem que as chances de sucesso neste ambiente são muito maiores.

Obrigado por utilizar o avast! Antivírus e por recomendar-nos aos seus amigos e familiares. Encontre as últimas notícias, divirta-se, participe de concursos e muito mais no Facebook,TwitterGoogle+ Instagram. Dono do próprio negócio? Descubra mais sobre os nossos produtos corporativos.

Comments off
14, janeiro, 2013

Segurança empresarial: tendências para 2013

Experts em segurança concordam que a segurança empresarial está ficando mais complexa com o contínuo desenvolvimento e crescimento dos dados, uso de celulares e tablets, políticas BYOD (bring-your-own-device) e computação baseada na nuvem. O impacto que os malwares tiverem em setores financeiros e de empresariais em 2012 tiveram como saldo positivo repensar os modelos de segurança.

Jonathan Penn, Diretor de Estratégia da Avast Software, analisa algumas das tendências em segurança que irão pressionar os profissionais de TI em 2013.

Aparelhos móveis como um vetor de ataque

Com o aumento da utilização de smartphones e tables nas empresas, os produtores de malware colocarão o foco nos aparelhos móveis dos funcionários, não para comprometer o aparelho em si, mas sim para conseguir entrar no ambiente corporativo e roubar dados.

Muitos dados = Grandes alvos

Os esforços de análise de grandes volumes de dados estão amadurecendo, e com isto eles começam a migrar para a nuvem e são abertos e utilizados por terceiros/parceiros. Tudo isto significa mais oportunidades para o acesso indevido e comprometimento destes dados.

Crescimento da terceirização da segurança

A utilização de serviços de segurança centralizados é outra tendência atual, fomentada pelos desafios BYOD e pelas vantagens de segurança que surgem do uso de sistemas terceirados de monitoramento e gerenciamento de TI, mas representam outro alvo de ataques.

Mudança de perspectiva na segurança do usuário final

Os profissionais de segurança de TI olham para os iPhones e iPads e desejam que os seus sistemas corporativos possam ser tão confiáveis quanto eles. Ainda que haja muitas razões pelas quais você não possa equiparar o Windows e o iOS, nós começaremos a ver as organizações tentando preencher estas diferenças movendo-se para uma atitude “default-deny” (proibir por padrão). Em 2013, nós veremos um notável movimento das empresas para o uso de listas-brancas de aplicativos, virtualização e sandboxing, além de outras técnicas que assumem que os programas são maliciosos até prova em contrário ou simplesmente devem ser isolados como medida de precaução.

Comments off