Protecting over 230 million PCs, Macs, & Mobiles – more than any other antivirus

Arquivo

Textos com Etiquetas ‘privacidade’
21, dezembro, 2015

Hackers ameaçam a privacidade de crianças através de jogos eletrônicos

Brinquedos conectados à internet coletam dados das crianças e são menos seguros que computadores.

vtech-innotab

Dados que hoje são roubados de crianças podem ser utilizados para construir perfis que podem trazer dificuldades no futuro.

Seus filhos podem receber brinquedos e aparelhos digitais como câmeras, relógios e tablets neste Natal. No entanto, cada vez mais os pais estão pensando duas vezes antes de colocar os presentes embaixo da árvore porque os aparelhos conectados à Internet coletam dados dos usuários e são menos seguros do que os computadores.

6 milhões de contas de crianças foram invadidas por um hacker

Esta fragilidade ficou patente durante as compras da Black Friday, quando uma empresa de brinquedos digitais de Hong Kong chamada VTech perdeu para um hacker os bancos de dados de mais de 6 milhões de crianças e quase 5 milhões de compartilhadas com os pais.

Colocando os bancos de dados lado a lado, o hacker foi capaz de obter informações que podem identificar as crianças: nomes, idades, sexo e até fotos e relatórios de conversas e chats. Os nomes dos pais, endereços de email, perguntas e respostas secretas para acesso às contas, endereços IP, senhas criptografadas e endereços postais também foram acessados. Em princípio, a brecha não atingiu números de cartões de crédito e dados financeiros.

Leia mais…

13, dezembro, 2015

As extensões dos navegadores podem ajudar você a encontrar os melhores preços para as suas compras?

Proteja a sua privacidade ao encontrar os melhores preços para as suas compras online

Leia mais…

3, dezembro, 2015

O Facebook aumenta a segurança dos usuários

Não ignore os alertas do Facebook e reserve algum tempo para melhorar a sua segurança

Não ignore os alertas do Facebook e reserve algum tempo para melhorar a sua segurança

Leia mais…

1, dezembro, 2015

O Avast 2016 protege as suas informações pessoais

O Avast simplifica o processo de proteger a sua privacidade com os novos produtos 2016.

Leia mais…

30, novembro, 2015

Desista da sua privacidade no Facebook ao utilizar o aplicativo “Palavras mais utilizadas”

O aplicativo “Most used words” (“Palavras mais utilizadas”) se tornou um sucesso no Facebook poucos dias depois do seu lançamento. No momento da publicação deste artigo ele está sendo utilizado por aproximadamente 18 milhões de pessoas em todo o mundo. Há muita controvérsia sobre a privacidade dos usuários em relação aos dados que são coletados pelo aplicativo.

O aplicativo Most Used Words é um pesadelo inesperado para a privacidade. Fonte: http://en.vonvon.me/

O aplicativo Most Used Words é um pesadelo inesperado para a privacidade. Fonte: http://en.vonvon.me/

Na semana passada, a empresa britânica Comparitech publicou um artigo em seu blog sobre o pesadelo da privacidade causado por este aparentemente inocente aplicativo do Facebook. O Most used words é apresentado como uma pesquisa simples e divertida que escaneia as postagens do Facebook para gerar uma coleção de palavras mais frequentemente utilizadas no Facebook. Parece divertido, certo? Antes de fazer o teste você mesmo, dê uma olhada de perto neste lobo coletor de dados que se veste de pele de ovelha. Depois de algumas análises do aplicativo, ficou comprovado que é um ladrão da sua privacidade. Ao utilizar o aplicativo, os usuários compartilham os seguintes detalhes:

Primeiro, o aplicativo faz algumas perguntas para ter informações básicas:

1. Nome
2. Tudo o que já foi postado em sua linha do tempo

Mas depois, ele pergunta se o usuário concorda em enviar os seguintes dados pessoais:

3. Foto do perfil, idade, sexo, aniversário e outras informações públicas
4. Toda a lista dos amigos
5. Todas as suas fotos e as que você foi marcado(a)
6. Histórico acadêmico
7. Cidade natal e cidade atual
8. Tudo o que você já curtiu na vida
9. Endereço IP
10. Informações sobre o aparelho que você está utilizando, incluindo o navegador e o idioma

Vamos ver: o nosso conceito de privacidade sem dúvida mudou na era da internet e das redes sociais. No mundo digital, deixamos nosso rastro digital diariamente ao navegar, comprar, jogar e enviar mensagens em nossos vários aparelhos. Independentemente das nossas atividades online, deve haver limites em como as empresas coletam, armazenam e processam os nossos dados pessoais. Neste caso, o desenvolvedor do aplicativo, a empresa sul-coreana vovon.me, pode ser acusada de abrir uma séria brecha na privacidade do usuário.

O que você torna público ao instalar o “Most used words”?

De acordo com os termos e condições oficiais da Vonvon, você concorda que as suas informações pessoais sejam:

1. Utilizadas depois que você deixa de ser membro do site e/ou utilizar os serviços da Vonvon, por qualquer motivo. (Isto significa basicamente que você já desistiu da própria privacidade ao utilizar o aplicativo).

2. Armazenadas em quaisquer dos servidores da Vonvon em qualquer lugar, incluindo os países que não tenham nenhuma regulamentação legal para com a privacidade dos dados.

3. Vendidas a terceiros, que você permite ao concordar com esta frase: (…) We do not share your Personal Information with third parties unless We have received your permission to do so, or given you notice thereof (such as by telling you about it in this Privacy Policy) (…). “Nós não compartilhamos as suas Informações Pessoais com terceiros a menos que tenhamos recebido a sua permissão para fazê-lo, ou tenhamos informado você previamente (por exemplo, dizendo isto na Política de Privacidade)”.

4. Utilizadas de qualquer forma por terceiros, uma vez que a Vonvon não é responsável por elas: (…) this Privacy Policy does not apply to the practices of entities Vonvon does not own or control, or to individuals whom Vonvon does not employ or manage, including any third parties to whom Vonvon may disclose Personal Information (…). “(…) Esta Política de Privacidade não se aplica às práticas das entidades que a Vonvon não é proprietária ou controla, ou aos indivíduos que a Vonvon não emprega ou gerencia, incluindo qualquer terceiro com quem a Vonvon pode compartilhar as Informações Pessoais (…)”.

Como se proteger?

Nós temos boas e más notícias para você. A má notícia é que se você já instalou qualquer aplicativo da Vonvon, infelizmente já não é mais possível proteger a sua privacidade. (Veja o número 1 do texto acima).

Se você ainda não utilizou o aplicativo, que isto lhe sirva de lição. As mesmas preocupações com as brechas de segurança na sua privacidade também podem ser encontradas em outros aplicativos famintos de “permissões”. Por isso é que, por exemplo, um aplicativo de previsão do clima não precisa pedir acesso às suas fotos e um aplicativo de receitas culinárias obter o seu endereço IP.

Também lembramos que você deve revisar a sua atual lista de aplicativos já instalados no Facebook. Veja se você os utiliza reguralmente e descobrir que tipo de dados os aplicativos estão solicitando. Você pode fazer isto desta forma:

1. Selecione Configurações no canto superior direito do Facebook
2. Clique em Aplicativos no menu à esquerda
3. Coloque o mouse sobre um aplicativo ou jogo e clique no ícone do lápis (Editar configurações)
Você pode aprender mais sobre os aplicativos do Facebook, sua privacidade e segurança na seção Sobre os Aplicativos da Ajuda.

Se você é um usuário do Avast, entre em sua conta do Avast e vá para Segurança das Redes Sociais > Aplicativos. Nós iremos guiar você na análise de segurança de cada um dos seus aplicativos.

Você pode se surpreender de quantos aplicativos já instalou ao longo destes anos, por isso, não se esqueça de verificar os seus aplicativos de tempos em tempos.

Siga o Avast no Facebook, Twitter, YouTube e Google+, onde a gente mantém você atualizado todos os dias com notícias sobre segurança digital.

9, setembro, 2015

Como manter segura a página da sua empresa no Facebook

Gerenciando a segurança da página da sua empresa no Facebook é algo muito importante para manter a sua reputação online

Leia mais…

Comments off
28, agosto, 2015

Entendendo as políticas de privacidade das empresas de tecnologia e as suas consequências para os usuários

Políticas de privacidade das empresas de tecnologia têm a capacidade de ajudar ou enganar os usuários

Quando foi a última vez que você sentou e leu na íntegra a política de privacidade de uma empresa de tecnologia, mesmo que visite diariamente o seu site?

Em um recente artigo da TIME junto com o Center for Plain Language, um conjunto dos principais sites de tecnologia de todo o mundo foi ranqueado com base em suas políticas de privacidade. Resumidamente, eles classificaram as empresas de acordo com a maneira como informavam o público sobre as suas políticas de privacidade. Neste caso, o que foi analisado não foram os dados que as empresas coletam dos seus atuais ou potenciais usuários. Em vez disso, este estudo analisou a forma como esta informação é transmitida aos usuários.

Quando se pensa na política de uma empresa, é importante levar em conta como os usuários realmente aproveitam o tempo em lê-la. Ainda que isto pareça óbvio, todos nós já tivemos a infelicidade de topar com empresas que colocam um monte de palavras ininteligíveis e indigestas em suas páginas FAQs ou Sobre Nós. De acordo com o nível de clareza da política de uma empresa, a TIME escreveu:

A política, por exemplo, torna fácil que as pessoas limitem as formas pelas quais a empresa coleta as suas informações pessoais? Ou são apenas links e opções obscuras nas entrelinhas de suas políticas?

Além do Google, a lista contém três plataformas de mídia social que muitos de nós utilização de forma regular (ou até diariamente): Facebook, LinkedIn e Twitter. Ao olharmos de perto as quatro políticas destes sites, fica claro que eles gerenciam a privacidade e as informações pessoais de forma muito diferente:

1. Google: não é uma surpresa que o Google faz um grande trabalho de escrever suas políticas com uma linguagem que os usuários podem entender facilmente e, por isso, veio em primeiro lugar neste estudo. O Center for Plain Language concluiu lendo a política de privacidade do Google que a confiança dos usuários na empresa pode crescer. É significativo pois a confiança das pessoas no Google já é consideravelmente alta.

2. Facebook: enquanto algumas políticas simplesmente reconhecem que eles armazenam e analisas as informações dos usuários, a seção “Que tipo de informação” do Facebook dá um passo adiante, mostrado que tipo de informações são coletadas e armazenadas quando o usuário interage com o site.

Foto: TIME

3. LinkedIn: vindo em terceiro lugar na lista do Centro, o LinkedIn é um exemplo de empresa com uma política de privacidade medíocre em clareza e comunicação. Ainda que o LinkedIn diga que “a política está o mais clara e direta possível”, o fato de a empresa ter ficado em terceiro lugar parece ser um julgamento um tanto quanto subjetivo.

Foto: TIME

4. Twitter: caindo do segundo para o último lugar na lista está o Twitter. Em uma série de parágrafos longos e difíceis de ler, os usuários mal podem imaginar o que acabaram de ler na política de privacidade do Twitter. Esta rede social é um bom exemplo do que não deve ser escrito quando se deseja ser transparente com o seu público.

Este estudo mostra que não só as políticas de privacidade são cruciais, mas também é importante prestar atenção na forma como estas políticas são escritas e compartilhadas com os usuários. Os usuários sempre devem sentir que entenderam como e porque as suas informações pessoais são armazenadas, analisadas e/ou compartilhadas nos sites que usam frequentemente. Leia o relatório complete do Center for Plain Language para ver uma análise completa das políticas de privacidade.

Siga o Avast no Facebook, Twitter, YouTube e Google+, onde a gente mantém você atualizado todos os dias com notícias sobre segurança digital.

Comments off
13, agosto, 2015

5 passos para proteger a sua conta do Facebook

Facebook em smartphone

Proteja a sua conta do Facebook contra visitantes indesejados

As redes sociais se tornaram parte das nossas vidas. O Facebook não é mais somente um canal de comunicação, mas uma importante fonte de notícias, informação sobre marcas, bem como uma plataforma de vendas. Graças aos aplicativos móveis, podemos acessá-lo de qualquer lugar e a qualquer momento. Como consumidores, devemos tomar ainda mais cuidado da nossa segurança ao utilizar o serviço.

Como configurar um login seguro na sua conta do Facebook

1. Configure a verificação em duas etapas, também conhecida como Aprovações de login para obter o nível de segurança desejado durante o processo de login. Cada vez que você entra em sua conta, o Facebook irá enviar a você um novo código via SMS para ser digitado e autenticar o processo de login. A aprovação do login lhe dará um controle melhor sobre quem pode acessar a sua conta. Instruções detalhadas de como configurar a sua conta podem ser encontradas aqui.

2. Selecione as opções de contatos confiáveis. Devem ser três ou quatro pessoas, que podem ser contatadas via Facebook caso a sua conta tenha sido bloqueada. A pessoa escolhida receberá um código de acesso que deverá ser informado a você para restaurar as credenciais da sua conta. Por isso, escolha cuidadosamente os contados confiáveis de forma que você possa entrar facilmente em contato caso seja necessário. Para escolher estes contatos, vá para Configurações > Segurança e escolha os amigos. Se você deseja aprender mais sobre esta opção, leia isto.

3. Configure os alertas de login e seja notificado caso o Facebook perceba alguma tentativa de login suspeito em sua conta, por exemplo, de um computador ou smartphone desconhecidos. Um alerta de login será enviado a você por SMS, email ou notificação do Facebook. Você decide qual formato é mais conveniente para você. Caso você suspeite de que alguém tentou invadir a sua conta, o Facebook irá ajudar você a reconfigurar a sua senha e criar uma nova. Como as demais configurações de segurança, você encontrará a opção de alertas de login na seção Segurança. Instruções detalhadas podem ser encontradas aqui. Alertas de login do Facebook

4. Proteja-se contra o phishing e o spam. Os cibercriminosos tentam obter os seus dados pessoais e de login criando páginas que se parecem ao Facebook. Por favor, tenha em conta que a rede social nunca irá enviar um email a você solicitando as suas credenciais ou qualquer dado pessoal ou financeiro. Caso você receba um email com links que enviem a uma página semelhante ao Facebook, nunca envie os seus dados. Aprenda mais sobre phishing no Facebook aqui. Por outro lado, se os seus amigos enviam spam a você com uma mensagem suspeita ou simplesmente incomodam você com convites para algum jogo, é possível que eles tenham sido vítimas de uma aplicativo malicioso. Esses aplicativos podem postar em nome deles sem o seu consentimento e espalhar ainda mais os malwares. Você pode denunciar isto à rede social clicando no símbolo de uma seta no canto superior direito próximo à mensagem. Leia mais na seção spam no Facebook.

5. Por fim, torne seguro o seu aplicativo móvel do Facebook. Se você, como outros milhões de usuários do Facebook, acessa a rede social em seu smartphone, deveria instalar um aplicativo que bloqueie o acesso à rede social no aparelho. Isto é muito útil caso o seu celular seja perdido ou mesmo para evitar que os seus amigos façam brincadeiras e postem algo em seu nome caso o seu smartphone esteja disponível. O Avast Mobile Security protege o seu Facebook e outras redes sociais, assim como aplicativos financeiros, com um código de segurança. Baixe-o gratuitamente da Google Play Store.

Fique ligado para mais dicas de segurança nas mídias sociais e para proteger a sua privacidade! Siga o Avast no Facebook, Twitter, YouTube e Google+, onde a gente mantém você atualizado todos os dias com notícias sobre segurança digital.

Comments off
1, junho, 2015

Os dados da Avast mudam para uma nova tecnologia de análise

Você sabia que os americanos da Califórnia são obsessivos com os Selfie Sticks da Amazon.com? Ou que as pessoas do Estado do Maine compram um monte de óleo de coco?

Graças à Jumpshot, uma empresa de marketing analytics, você pode descobrir esta informação – assim como outras informações mais úteis – utilizando as ferramentas disponíveis na Jumpshot.com.

O que deve ser ainda mais interessante para você é que a Jumpshot está utilizando os dados do Avast para descobrir estas informações exclusivas. Nós suprimos a Jumpshot com dados anônimos em grupo que coletamos do escaneamento de 150 bilhões de URLs que os nossos usuários visitam a cada mês. Utilizando um algoritmo da Jumpshot cuja patente está em tramitação, todas as informações pessoais capazes de identificar o usuário (PII) são removidas dos dados antes de deixarem os servidores da Avast. Nada pode ser utilizado para identificar alguém ou torná-lo um alvo do marketing. O COO da Avast, Ondřej Vlček, explica o algoritmo de remoção dos dados pessoais em um tópico do fórum da Avast.

Infográfico da Jumpshot mostrando os valores e os itens mais populares da Amazon.com por Estado. Dados de navegação da Avast foram anonimizados e utilizados para obter esta informação. Clique aqui para ver o infográfico completo.

Infográfico da Jumpshot mostrando os valores das compras na Amazon.com por Estado. Dados de navegação da Avast foram anonimizados e utilizados para obter esta informação. Clique aqui para ver o infográfico completo.

A segurança dos dados, naturalmente, é muito importante para nós. Nós nos empenhamos muitíssimo para manter os nossos usuários seguros e nunca compartilhamos nenhum dado que possa ser utilizado para identificá-los. Nós nunca fizemos isto e nunca faremos.

Sabemos que alguns usuários não querem que nenhum dado – não importa o quão genérico e despersonalizado ele seja – venha a ser utilizado em análise de marketing. Por isso é que nós informamos abertamente no processo de instalação dos nossos produtos quais informações são coletadas e o que nós fazemos com ela, e oferecemos aos nossos usuários a possibilidade de desativar esta opção e impedir que os dados sejam coletados. Pensamos que somos os únicos neste mercado que oferecem esta opção de bloqueio, mas fazemos isto porque respeitamos que a escolha seja dos nossos usuários e não nossa. Agradecemos que mais de 100 milhões dos nossos usuários a quem foi dada esta opção não tenham impedido a coleta desses dados anônimos.

A base do nosso negócio é a confiança, e acreditamos que ela só exista se houver honestidade.

Nós sempre mantivemos uma relação honesta com os nossos usuários, e continuaremos a trabalhar assim. No momento, nós não ganhamos nada com esta possibilidade, mas é uma experiência para sabermos se podemos sustentar os nossos produtos de segurança de forma indireta em vez de perturbá-los com avisos de atualização para as versões pagas. Como muitos já sabem, a maioria dos produtos que utilizamos diariamente como, por exemplo, o Chrome, o Facebook, o Firefox, o WhatsApp, o Gmail, etc., são sustentados indiretamente por propagandas. No entanto, na maioria dos casos, os produtos analisam diretamente o que os usuários estão fazendo e lhes apresentam propagandas direcionadas. Ainda que nós suspeitamos que algumas empresas de segurança também fazem isto, acreditamos que esta abordagem não é apropriada. Em vez disso, pensamos que a abordagem através dos dados que foram tornados anônimos e agrupados é muito melhor para manter uma relação de confiança que pensamos ser muito importante entre vocês e nós, nossos usuários leais.

Como sempre, agradecemos pelo seu suporte e apoio financeiro. Juntos continuaremos a tornar a internet um lugar seguro para todos nós.

Comments off
14, abril, 2015

WiFi públicas e abertas: risco de privacidade e roubo de identidade

A conveniência de utilizar uma rede WiFi pública e aberta vale o risco do roubo de identidade? A maioria das pessoas pensam que sim

Em uma pesquisa recente, descobrimos que 6% dos norte-americanos protegem seus dados utilizando uma rede virtual privada (VPN) quando estão conectados a uma rede WiFi pública com seus smartphones e tablets. Isto mostra que 94% estão desprotegidos. Não há dados da utilização de VPN no Brasil, mas estima-se que a porcentagem seja mínima, muito menor do que nos Estados Unidos. Por que isto ocorre?

As pessoas não sabem dos riscos de utilizar redes WiFi públicas inseguras?

Evitar a cobrança de taxas de utilização de dados móveis ou a conveniência de não utilizar uma senha são coisas mais importantes do que os dados dos seus aparelhos?

As pessoas não sabem que existe uma proteção disponível?

Está todo mundo assustado que não vai entender como utilizar uma VPN porque o nome soa algo técnico e muito avançado?

A verdade sobre as redes WiFi públicas e abertas

A verdade é que utilizar redes WiFi desprotegidas pode custar ainda mais caro à sua privacidade e ter a sua identidade digital roubada se você não estiver protegido(a) com um aplicativo de Rede Privada Virtual (VPN). Isto acontece porque as redes inseguras, aquelas que não exigem o registro ou uma senha, dão aos cibercriminosos um fácil acesso às informações pessoais.

“Na medida em que o armazenamento de dados na nuvem se torna cada vez mais popular e a procura por dedes WiFi gratuitas continua a crescer, as redes abertas – que não requerem senhas – passam a ser um grande risco aos consumidores desprotegidos, comprometendo seus dados pessoais privados”, disse Jude McColgan, presidente da Divisão Móvel da Avast.

“A maioria das pessoas não sabe que todas as informações pessoais dos seus aparelhos móveis estão indefesas em redes WiFi públicas se forem utilizadas sem proteção. Estas redes se tornam um fácil ponto de entrada para que hackers ataquem milhões de pessoas todos os dias”.

Pesquisa sobre uso de WiFi

O Avast pode proteger você e não é difícil de usar nem caro

“Infelizmente, ser um hacker não é algo complicado: há ferramentas disponíveis na internet que qualquer um pode utilizar para roubar dados pessoais”, disse Ondrej Vlček, COO da Avast. “O Avast SecureLine VPN permite que os usuários naveguem anonimamente e com segurança, especialmente ao utilizarem redes WiFi abertas”.

O Avast SecureLine VPN protege as suas conexões na internet com uma criptografia de nível militar e esconde o seu endereço IP. Se isto parece blá-blá-blá para você, vamos dizer em outras palavras: a nossa proteção torna o seu aparelho invisível aos cibercriminosos. Além disso, utilizar uma VPN oculta o seu histórico de navegação e, portanto, ninguém pode monitorar o seu comportamento online. Nós garantimos isto e o aplicativo é muito fácil de utilizar.

O Avast SecureLine VPN está disponível para telefones e tablets Android na loja Google Play e para aparelhos iOS na Apple App Store. Nossa VPN também está disponível para computadores Windows.