Protecting over 230 million PCs, Macs, & Mobiles – more than any other antivirus

Arquivo

Textos com Etiquetas ‘antivirus’
28, julho, 2015

O Avast deixa o computador lento?

É muito frustrante quando o seu computador fica lento. Uma das piores coisas que as pessoas fazem para recuperar o desempenho nos seus computadores é remover o software de segurança. Livrar-se da sua barreira de proteção simplesmente abre as portas para as ameaças que podem tornar tudo ainda pior.

Por isso, você sabe que precisa de um produto de segurança no seu computador, mas não quer nenhum programa que reduza a velocidade ou o desempenho. Por isso os produtos antivírus Avast são uma excelente escolha.

O Avast obteve a máxima qualificação de desempenho do AV-ComparativesO Avast oferece altas taxas de detecção e uma boa proteção contra malwares, mas não diminui o desempenho do sistema ou irrita os usuários pelo alto consumo de recursos.

Mas não fique apenas com a minha opinião.

O AV-Comparatives, um conhecido e confiável laboratório de testes independentes, testou recentemente 20 antivírus e produtos de segurança para internet. O Avast Free Antivírus ficou na frente de todos os outros – suítes de segurança pagas e outras proteções antivírus gratuitas – e recebeu o prêmio Advanced Plus três estrelas no Teste de Desempenho de maio de 2015.

Razões pelas quais o seu computador pode estar lento

Nem sempre é o programa de segurança o responsável por deixar lento o computador. Outros fatores também podem interferir, o que significa que, com alguns ajustes, o desempenho dos computadores pode ser melhorado.

Hardware antigo: se você tentar instalar um programa moderno em seu antigo computador, ele pode começar a andar a passo de tartaruga porque o hardware simplesmente não consegue rodar bem o programa. O ideal e a melhor solução seria comprar um novo computador com múltiplos processadores. No entanto, se o seu orçamento não permite comprar um novo computador, então você deveria, pelo menos, acrescentar mais memória RAM.

Para o Windows 7 ou o Windows 8, você deveria ter no mínimo 4 Gb de RAM. Se você utiliza o Windows XP ou o Vista, poderia mudar para o Windows 8.1 64-bit. Os produtos de segurança do Avast são compatíveis.

Utilizar mais de um programa de segurança não é bom. Não é recomendável manter ao mesmo tempo mais de um produto de segurança com proteção em tempo real. Por favor, desinstale qualquer programa de testes que tiver vindo com o seu computador antes de instalar uma proteção diferente. Você pode encontrar uma lista com instruções de como removê-los aqui. Recomendamos que você siga as instruções antes de desinstalar os programas.

Assegure-se de que os seus programas estejam atualizados. As últimas versões dos programas contém correções que fazem com que sejam executados da melhor maneira possível. O Avast interrompeu as atualizações das versões mais antigas do seu antivírus. As versões 8.0.1497 e mais antigas continuam a receber atualizações contra ameaças, mas não receberão nenhuma correção nem suporte técnico. A última versão do Avast tem funções avançadas e maior taxa de detecção para proteger o seu computador de ataques maliciosos.

Limpar o lixo. O lixo deixado para trás: arquivos, entradas do registro do Windows, atalhos desnecessários, adwares, barras de ferramenta e programas indesejados podem deixar lento o seu computador. Livrar-se do lixo pode dar um respiro para a sua máquina.

Se o seu disco rígido estiver quase cheio, você pode transferir filmes, imagens e outros arquivos pouco utilizados para um disco externo. Para obter a melhor velocidade, você deve deixar pelo menos 20% de espaço livre no seu disco.

Siga o Avast no Facebook, Twitter, YouTube e Google+, onde a gente mantém você atualizado todos os dias com notícias sobre segurança digital.

23, julho, 2015

PayPal registra 1 bilhão de pagamentos via telefone, mas antivírus para celular é besteira

Responda rápido: qual antivírus você tem instalado em seu telefone? Se você levou mais de 3 segundos para dar uma resposta, então é melhor rever o seu comportamento online pois com a quantidade de transações monetárias e pagamentos feitos via celular hoje em dia, não há dúvidas nenhuma de que hackers estão cada vez mais interessados no que você guarda em seu computador de bolso, assim como o que você armazena em seu laptop.

samsung_swiftkey

Compras via celular têm crescido rápido, muitas feitas em wi-fi de terceiros: antivírus e VPN agora são essenciais

Esta semana, durante uma entrevista à rede de televisão norte-americana CNN, o CEO da PayPal, Dan Schulman, informou que em 2014 a empresa registrou mais de 1 bilhão de pagamentos via telefone. De acordo com o site Statista, no ano passado foram vendidos 1,3 bilhão de smartphones, ou seja, podemos dizer que praticamente para cada celular comprado no mundo em 2014, uma transação monetária foi feita com ele via PayPal.

Entretanto, há quem acredite ainda que não há riscos e nem necessidade de se adquirir algum tipo de proteção para o seu aparelho celular. Desculpas do tipo: “mas eu não faço nada de especial com meu celular” ou “eu não tenho nada a esconder” ou a minha predileta “eu só uso o celular para fazer ligações e usar o Whatsapp, quem vai se interessar por isso?”, ainda são muito comuns.

Não há dúvidas nenhuma de que ataques a computadores e servidores continuam a ser mais lucrativos pois esses aparelhos têm um poder de armazenamento de dados muito maior, embora esta realidade venha mudando drasticamente. Até porque hoje em dia muitos aparelhos celulares servem como porta de entrada para PCs, roteadores e servidores, portanto, muitas vezes, o objetivo do hacker não é atacar seu celular, mas sim seus dados, ou os dados da sua empresa, armazenados em algum outro local. E isto pode ser feito com um vírus em seu Android, por exemplo.

Usuários de iPhone também sob risco

Sabemos que há aquela lenda de que “quem usa iPhone e produtos Apple está seguro”, mas não é bem por aí. É verdade que existem poucos vírus para os produtos da maçã, mas os ataques a eles podem ser feitos de uma outra maneira: através da invasão via roteadores domésticos mal protegidos ou wi-fi aberta/pública.

Por exemplo, se você estiver em um restaurante utilizando a wi-fi gratuita daquele estabelecimento, um hacker sentado à mesa ao lado poderá acessar a rede e, através de aplicativos de coleta de dados, invadir todos os aparelhos conectados àquela wi-fi e acessar as informações transmitidas por esses dispositivos.

Recentemente, a Avast fez um experimento em São Paulo com mais de 5 mil hotspots com internet gratuita. E 49% deles estavam vulneráveis a ataques deste tipo. Neste teste, a equipe de engenheiros da Avast conseguiu ter acesso a e-mails, fotos, vídeos e outros documentos pessoais que estavam sendo transmitidos por àquelas redes. E advinha o que mais? Muitas dessas informações eram oriundas de produtos iOS como iPhone, iPad e Mac.

Portanto, não é só antivírus que precisamos instalar em nossos celulares, mas também um VPN (Virtual Private Network) que criptografa os dados transmitidos entre um dispositivo e servidor ou roteador.

Agora é a sua vez caro leitor! Conte-nos: como você tem garantido a segurança dos seus dados e compras através de seu celular?

21, julho, 2015

Site de adultério é hackeado: quando segurança online vai além do antivírus

O blogueiro norte-americano Brian Krebs, especializado em segurança online, publicou na semana passada uma nota informando que o famoso site de adultério Ashley Madison foi hackeado por um grupo de cibercriminosos autodenominado “The Impact Team”, roubando informações pessoais dos 37 milhões de usuários do serviço da empresa com sede no Canadá, que acabou por assumir que realmente foi vítima do ataque.

Heartbleed, free antivirus, password, security

No mundo virtual de hoje em dia, o cuidado com sua senha e dados pessoais deve ser redobrado

Qual a lição que tiramos disso? Que não devemos cometer adultérios? Bem, talvez isto seja um bom começo de conversa, mas o que realmente aprendemos mais uma vez é que segurança online vai muito além da instalação de um antivírus no computador, mas passa também por uma reflexão profunda de como utilizamos e compartilhamos nossos dados no dia a dia.

É claro que ninguém pode prever um ataque de hacker desse tipo e é praticamente impensável que alguém venha esquecer que um dia chegou a fazer um cadastro neste tipo de site, mas pare um pouco e pense quantos cadastros online você preencheu nos primeiros (quase) 7 meses de 2015? E desses cadastros preenchidos, quantos tiveram alguma relação com algum tipo de transação monetária ou divulgação de dados pessoais, como nome de familiares, número de documentos, etc?

Por isso que volto a repetir: a instalação do seu antivírus é apenas o início e não o fim do processo de proteção de seus dados online. É necessário ter sempre controle das informações que você compartilha na internet para se resguardar de qualquer problema. Pois, por exemplo, veja esta situação: se em 2011 você fez um cadastro em uma loja online, onde além do seu cartão de crédito (que talvez em 2015 já esteja expirado), você colocou ainda seu endereço, contatos telefônicos, nome de familiares, senhas, etc estas informações poderão ficar lá armazenadas para sempre (ou até a empresa que recebeu estes dados destruí-las), e em caso de um ataque cibernético, podem ser roubados.

Mas o que fazer? Não criar mais cadastros online? Só realizar pagamentos em dinheiro ou cheque?

Não é necessário tanto! O ideal é ter alguma forma de controle desses dados e formulários, seja de forma digital ou analógica. Portanto, aqui seguem algumas dicas de segurança que são essenciais nos dias de hoje:

1)      Após a instalação do seu antivírus favorito, mantenha-o sempre atualizado e procure usar todas as suas funções disponíveis, como firewall, zona privada de acesso à internet, limpador de arquivos desnecessários, etc. Use-o! Não esqueça de sua existência!

2)      Ao preencher formulários, mantenha em algum lugar anotado sobre este preenchimento. Hoje em dia há aplicativos que podem ajudá-lo a manter a ordem de suas senhas e formulários online.

3)      Caso não precise mais daquele serviço, peça o cancelamento do mesmo por escrito. Se a empresa for idônea lhe enviará um e-mail confirmando o cancelamento e irá destruir seus dados para que não sejam usados no futuro.

4)      Se for compartilhar seus dados online, tenha certeza de que você está conectado via uma página segura, com extensão https.

5)      Se você for utilizar uma conexão de wi-fi pública/aberta (shopping centers, restaurantes, etc), tenha um VPN (Virtual Private Network) instalado no seu dispositivo. Ele criptografará as informações transmitidas ao servidor/roteador, impedindo que seus dados sejam crackeados ou hackeados.

São 5 dicas simples e fáceis de serem seguidas e que garantirão a você tranquilidade para navegar na internet. Seja precavido!

Bem, mas agora é a sua vez! Conte-nos: quais são os passos que você segue para garantir a segurança de seus dados online?

 

26, junho, 2015

Nos carros do futuro, gadgets serão mais importantes do que aerodinâmica e rodas tala larga

Interessantíssimo o texto publicado por Ronaldo Lemos, diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro, na Folha de São Paulo, no último dia 25 de maio. Intitulado O futuro é dos carros conectados, o colunista explica que em breve teremos “smart carros”, assim como hoje em dia temos “smart phones”. É a tecnologia envolvendo todas as áreas do nosso dia a dia. E acredite, isto já está, parcialmente, à venda!

Ferrari2

O que te chama mais a atenção nesta imagem? A Ferrari ou a tecnologia? No futuro, sua opinião poderá ser diferente

A empresa norte-americana Tesla Motors, pioneira na fabricação de carros elétricos, já possui versões cujas algumas de suas funções mais importantes podem ser controladas via telefone, como por exemplo, o travamento das portas.

A esposa de um dos diretores da Avast possui um Tesla com este recurso e ao estacionar o veículo certa vez, só reparou que sua bolsa com o telefone estava dentro do carro após fechar a porta, que instantaneamente travou e bloqueou tudo. Ela então parou uma pessoa na rua e pediu seu telefone emprestado, baixou o aplicativo que controla esta função, destravou o veículo, desinstalou o app do telefone da pessoa desconhecida e recuperou a bolsa. Tudo isso em questão de minutos sem precisar chamar o chaveiro ou acionar o seguro.

Se isto já soa interessante, o texto de Ronaldo Lemos vai muito além, e relata a utilização de um aplicativo que poderá ajudar o dono do veículo a ganhar descontos com seguro ao monitorar se o mesmo dirige com segurança ou não. Mas o mesmo aplicativo pode ainda ser usado para aplicar multas, o que diminuiria as responsabilidades de fiscais de trânsito e deixaria muito apressadinho com a pulga atrás da orelha.

Mas mais do que isso ainda há as possibilidades de monitoramento do veículo e do dia a dia do motorista. Se você for o pai ou a mãe de um jovem adulto e quer ter certeza de que ele ou ela está dirigindo com responsabilidade, talvez este aplicativo seja uma “mão na roda”. Mas há muitas outras razões para não querer ser monitorado.

E é por isso que a necessidade da utilização de antivírus vai se tornando cada vez mais importante nos dias atuais. Ainda há uma grande inércia à ideia de se instalar produtos de segurança em telefones celulares e tablets. Talvez porque os dados que guardamos nesses aparelhos não parecem ser “tão nocivos” assim como se imagina. Afinal de contas, a planilha de Excel com os resultados dos seus negócios, os trabalhos escolares e o backup de fotos são guardados no seu PC, certo? Mas se o seu telefone for capaz de se comunicar com seu smart carro, daí é melhor começar a se preocupar um pouco mais com suas atitudes online.

Por exemplo, ainda há muita gente achando que é “exagero” se preocupar com um roteador doméstico ligado 24 horas por dia, 7 dias por semana, como pode ser visto em uma discussão no Facebook da Avast após publicarmos este texto. E isto ocorre em uma época em que mais e mais ataques de hackers estão ocorrendo via Wi-Fi privada. Aliás, há os que ainda utilizam senhas fáceis de serem descobertas para proteger seus roteadores, como 123456789, achando que nada pode acontecer…

Voltando ao texto de Ronaldo Lemos, gadgets estão ganhando cada vez mais espaço em veículos comuns ou tunados ao ponto de começarem a ter mais importância do que o design, a aerodinâmica ou a roda do possante. Ok, talvez eu esteja exagerando, mas imagina se você pudesse controlar a pressão dos seus pneus diretamente do seu celular, ou o tamanho da roda dependendo do dia? Ou se pudesse rebaixar o carro até o chão diretamente do seu tablet e voltá-lo à posição normal a qualquer momento a partir de um simples comando no aparelho?

Enfim, os gadgets que lhe permitem fazer essas mudanças ganharão mais destaque e importância no seu veículo fazendo as revistas especializadas em automóveis se tornarem verdadeiras mídias da tecnologia, de preferência dando destaque à segurança online. Eu não vejo a hora de isso acontecer! E você?

Comments off
14, junho, 2015

As empresas de antivírus criam vírus para vender mais softwares?

Pergunta da semana: por que a Avast e as outras empresas de antivírus tentam nos amedrontar com todas estas notícias sobre vírus e aplicativos infectados? Isto me faz pensar que estão na origem destas ameaças.

Avast protege contra hackers

As empresas de antivírus não criam os vírus: já há hackers suficientes fazendo isso!

A Avast e as outras empresas sérias de antivírus não estão ligadas à criação das ameaças: há milhões delas sem que os nossos técnicos tenham de se preocupar em criá-las! Mas, de qualquer forma, obrigado pela pergunta. Queremos ajudar você e os nossos outros usuários a entender a natureza da segurança cibernética nos dias de hoje e garantir que você tenha as ferramentas para proteger o seu ambiente online.

Já temos o suficiente para nos mantermos ocupados

O Laboratório de Vírus da Avast recebe mais de 300.000 amostras de potenciais vírus por dia e tem documentado o crescimento das infecções por malware móvel, brechas de segurança em programas e aparelhos populares, e o surgimento de espionagem através de pontos de internet gratuitos. Não queremos assustar você, mas sabendo que mais de 60% das empresas já foram vítimas de ataques cibernéticos e que o Avast evitou mais de 2 bilhões de ataques por vírus no mês passado, temos muito do que falar em nosso blog.

Um exemplo de um novo tipo de ataque foi a recente descoberta de um aplicativo móvel chamado Dubsmatch 2 que continha um malware do tipo clicador pornográfico escondido dentro dele. O aplicativo foi instalado entre 100.000 e 500.000 vezes na Loja Google Play, que é geralmente uma fonte segura, antes de termos notificado a Google e o aplicativo ter sido removido.

“Suspeitamos que o desenvolvedor do aplicativo utilizou o método de “clicar na pornografia” para obter vantagens financeiras”, escreveu o analista de vírus Jan Piskacek. “Através dos cliques em várias propagandas dos sites pornográficos, o desenvolvedor do aplicativo provavelmente recebeu diariamente uma quantia dos que fizeram as propagandas naqueles sites”.

Quando o assunto são os lucros, os cibercriminosos são muito criativos. Mas o lucro não é a única motivação. Os hackers na Black Hat USA em 2014 disseram que a diversão e a adrenalina são as suas motivações (51% responderam assim). A revelação de ataques promovidos pelos governos também cresce. China, Rússia, Irã e Coreia do Norte surgem como os principais países que promovem hackers por motivos políticos, nacionalistas e por vantagens competitivas.

Muitas pessoas, mesmo as que estão conscientes dos ataques, não fazem nada para se proteger.

As pessoas em geral estão mais conscientes e preocupadas da sua segurança e privacidade online depois da revelação das atividades de vigilância da NSA americana, mas, mesmo assim, a maioria do americanos adultos não fez mudanças significativas no seu comportamento digital e 54% deles dizem que é “muito” difícil encontrar as ferramentas e as estratégias para melhorar a sua privacidade online ou quando utilizam seus celulares de acordo com um relatório do Centro de Pesquisas Pew.

Eu não tenho nada a esconder e Eu não tenho tempo e conhecimentos são as razões mais frequentes para que eles não façam nada.

Não utilize mais a proteção antivírus dos seus pais

Uma vez que a natureza dos ataques mudou, passamos a oferecer um “ecossistema” de serviços de proteção que vai além da nossa proteção antivírus. A necessidade de um tipo de proteção mais completa ficou quase evidente depois do que o New York Times foi hackeado durante 4 meses por cibercriminosos chineses. Jindrich Kubec, diretor de inteligência de ataques da Avast, reconhece que há uma diferença entre os tipos de ataques encontrados todos os dias pelos que navegam na internet e aqueles meticulosamente arquitetados ao New York Times, mas acrescenta:

“Cintos de segurança e airbags são uma proteção maravilhosa e melhoram a segurança de milhões de pessoas, mas eles não vão parar uma bala, diria um assassino. Mas isto significa que você vai deixar de utilizar airbags e cintos de segurança?”

Conheça os vários produtos que a Avast oferece para que você crie o seu próprio ecossistema de segurança: Avast Mobile Security, SecureLine VPN, Browser Cleanup e GrimeFighter não são apenas novas formas de ganhar dinheiro (alguns dos produtos são gratuitos!). São produtos pensados para manter você e os seus pertences tão seguros quanto possível.

10, junho, 2015

Invasão do sistema de computador do governo norte americano: é tão fácil assim?

Irreal, inacreditável, impossível, por que, como… Essas foram algumas palavras usadas por mais de 4 milhões de norte-americanos que trabalham para o governo federal após descobrirem que seus dados foram roubados em um ataque de hacker divulgado há cerca de 1 semana. O ataque, de acordo com o jornal The New York Times, tinha como objetivo adquirir dados pessoais de funcionários do governo em todo os Estados Unidos. Embora o ato ainda esteja em investigação, a grande suspeita é de que um hacker chinês esteja por trás desse roubo.

hacker

Ataques de hacker podem soar como fáceis, mas não são tão simples assim: saiba como se cuidar

Se isso tivesse ocorrido em um país de menor poder cibernético, talvez a notícia não seria tão alarmante. Mas ver que milhões de dados do governo norte-americano podem ser facilmente acessados em um piscar de olhos, realmente soa irreal. Mas espere um pouco! Eu usei a palavra “facilmente”? Opa, acho que me enganei…

Ninguém consegue invadir uma plataforma de dados como dos Estados Unidos do dia para à noite, a não ser que o criminoso tenha acesso a informações confidenciais e senhas que lhe permitam isso. Ou devido a algum descuidado de um funcionário por alguns segundos e a sorte de um hacker de estar lá no lugar certo, na hora certa. Pois na grande maioria dos casos é preciso muito trabalho para se chegar a este ponto.

Qual o motivo para este ato? Durante uma entrevista (em inglês) dada pelo CEO da Avast, Vince Steckler, à agência de notícias Bloomberg, em Singapura, “existe um mercado negro underground comercializando essas informações”. Segundo ele, com esses dados criminosos podem criar novas identidades ou adquirir informações detalhadas para quebrar senhas e ter acesso exclusivo a informações valiosas.

Tá, se o Obama não consegue se proteger, como eu (um simples mortal) poderei fazer isso?

Como dito por Vince, os seus dados podem ser comercializados no mercado negro, mas o controle deles depende única e exclusivamente de você.

De acordo com uma recente pesquisa da Avast, a grande maioria dos brasileiros possui roteadores domésticos configurados com senhas de acesso extremamente fáceis de serem quebradas, como data de aniversário, endereço da casa, etc. Portanto, se você quer se proteger, comece configurando a senha do seu roteador de maneira eficaz e, de preferência, troque-a regularmente, de cada 3 a 6 meses.

Se for usar a internet de amigos ou em wi-fi aberta, utilize uma VPN (Virtual Private Network), que criptografa todos os dados do seu aparelho. Assim, se a internet que você estiver conectado for atacada, seu dispositivo e dados estarão seguros.

Por fim, utilize um software de segurança em seu computador e suspeite de qualquer programa que lhe for oferecido para ser baixado online. Antivírus como da Avast, por exemplo, possui o Sandbox, uma área virtual onde você pode baixar programas suspeitos sem perigo ao seu disco rígido.

Enfim, o ataque ao governo norte-americano pode ter sido assustador, mas não foi fácil. Portanto, dificulte a vida de cibercriminosos tendo uma postura online mais ativa e segura.

 

Comments off
6, junho, 2015

Computadores precisam de antivírus. Smartphones não. Certo?

Mulher utilizando smartphone

O seu smartphone significa muito para você: proteja-o contra hackers e ladrões com o Avast Mobile Security

É muito comum encontrar pessoas que estão preocupadas com os vírus e os malwares para Windows que dizem: “Bem, o meu computador está protegido com o Avast Antivírus, mas isto não é preciso nos nossos smartphones e tablets”.

Há mais de 230 milhões de usuários do Avast Antivírus e “apenas” 60 milhões de usuários Android do Avast Mobile Security. A cada segundo, muitos mais aparelhos móveis são vendidos do que desktops e notebooks juntos. Por que as pessoas não estão preocupadas com a segurança dos seus smartphones assim como estão dos seus desktops?

Escrevemos recentemente sobre uma pesquisa do AV-Comparatives que mostra que o Avast Mobile Security é a escolha número 1 dos usuários de Android. Nela mostramos que os usuários Android nos Estados Unidos protegem os seus telefones mais do que ninguém: 31% dos que responderam à pesquisa têm proteção nos seus smartphones. Na América do Sul, Ásia e Europa, o número de pessoas é muito menor: 17%.

E os outros usuários do Android?

- Você está consciente de que o malware para aparelhos móveis está crescendo?

- Você se dá conta que (muito provavelmente) têm muito mais informações pessoais no seu smartphone do que no seu PC? Como fotos, selfies, contatos, vídeos e também informações bancárias e financeiras?

- O que aconteceria se um dos seus aplicativos estiver utilizando as suas informações pessoais contra você, como o aplicativo pornográfico que furou a barreira do Google Play imitando o popular Dubsmash que descobrimos recentemente?

O seu aparelho Android precisa de proteção

O Avast Mobile Security e um aplicativo completo para a proteção Android. Está completamente focado em funções de segurança e privacidade.

Talvez você tenha um amigo ou a sua namorada que deveriam estar lendo isto… Aproveite a oportunidade para apresentá-los ao Avast Mobile Security e ensine algumas dicas sobre segurança móvel. Talvez vejamos um mundo melhor protegido se reduzissemos o número de aparelhos desprotegidos e os cibercriminosos tivessem mais trabalho para roubar dos inocentes. Baixe o Avast Mobile Security gratuitamente na Google Play.

Ganhe o Avast Mobile Premium de graça

Na última atualização do Avast Mobile Security, acrescentamos um programa de recomendação para que você possa indicar o Avast Mobile Security aos seus amigos e familiares. Você não só estará recomendando o melhor aplicativo de segurança disponível na Google Play, mas também será recompensado por isto: você pode ganhar o Avast Mobile Premium por até três meses de graça!

Veja como funciona: Para cada 5 amigos que você enviar um SMS recomendando o Avast, você ganhará um mês de graça do Avast Mobile Premium. Legal, né?

Faça uma boa ação hoje: diga a alguém que você se preocupa que os smartphones e tablets tenham um aplicativo de segurança instalado e atualizado.

19, maio, 2015

Erros tecnológicos: pare de cometê-los hoje!

Adoramos quando nossos fãs e seguidores no Twitter nos alertam sobre fatos interessantes. Recebemos recentemente um tweet de @LoveNerds4Ever nos informando que o Avast Antivírus foi mencionado em um programa da News10 de Sacramento, Califórnia). Obrigado, Shawna!

O convidado deste vídeo era Ryan Eldridge, cofundador da Nerds on Call, uma empresa de reparos de computador em Sacramento. Ele falou à repórter Keba Arnold sobre os erros tecnológicos que as pessoas mais cometem. Estes pontos simples, mas super importantes, que tentamos resumir e que Ryan faz de forma brilhante neste vídeo.

Assista agora.

As recomendações de segurança que Ryan fez:

  • Atualizar o seu computador e smartphone. As atualizações dos programas e correções de segurança são muito importantes para manter o seu aparelho em dia e otimizado.
  • Baixe aplicativos e programas de sites que você conhece e confia. Em nosso smartphone, você preferirá a loja Google Play ou a Amazon App. Para o seu computador, ele diz que é um pouco mais difícil, mas sugere que você dê uma olhada em download.com, o conhecido portal de downloads da CNET onde você pode ler as revisões dos usuários e ver a reputação do aplicativo antes de baixá-lo.
  • Ryan lembra aos usuários de computadores que quando eles compram ou ganham um novo aparelho, em geral, um programa antivírus vem pré-instalado, mas é apenas uma versão de testes válida por um período limitado. Depois que ela expira, você precisa estar protegido com um produto antivírus de qualidade. Ryan recomenda o Avast Free Antivírus para o seu computador Windows, seu seu Mac e seu smartphone.
  • A apresentadora confessa que tem apenas um email onde ela recebe tudo. Ryan diz que isto é um erro porque se um hacker invadir o email dela, terá acesso a tudo. Ryan sugere que você tenha emails separados para seus amigos e familiares, seu trabalho, e outros para compras.
  • Senhas, ele admite, são um pé… Ryan sugere utilizar um algoritmo, um tipo de código pessoal para a construção das próprias senhas. Por exemplo, você pode utilizar uma linha da sua música favorita, por exemplo, Somewhere Over the Rainbow e pegar a primeira letra de cada palavra, utilizar letras do nome do site e vários números. Cada senha deve ser única e conhecida apenas por você.

Ryan, agora somos nós que temos uma dica para você! Pequenas empresas como a sua também precisam de proteção, e produtos individuais como o Avast Free Antivírus não são a melhor solução quando você precisa gerenciar vários aparelhos, sistemas operacionais diferentes e pessoas trabalhando remotamente. Acrescentamos à nossa coleção de produtos gratuitos o novo Avast para Empresas. O Avast para Empresas é gratuito para sempre e para um número ilimitado de administradores e aparelhos.

Comments off
18, maio, 2015

Não utilize mais a proteção antivírus dos seus pais

avtest_certified_homeuser_2015-02

O produto de uso doméstico da Avast recebeu a certificação do AV-Test.

Nos dias de hoje, ainda precisamos estar preocupados com a segurança nos nossos computadores?

Com o passar dos anos, os padrões da internet melhoraram e a segurança dos sistemas operacionais e navegadores fica melhor a cada dia. Por causa destes avanços, algumas pessoas se perguntam se ainda precisam de proteção de segurança. E precisamos lembrar que lado a lado como o progresso na proteção, os cibercriminosos também melhoraram as suas habilidades e se tornaram ainda mais perigosos.

Os hackers não são mais adolescentes prodígio que invadem as agências governamentais para provar que conseguem fazer isto. “Nos dias de hoje, os cibercriminosos têm de tomar decisões financeiras como todos nós porque os seus recursos são limitados”, disse Ondrek Vlcek, COO da Avast.

Atualmente, o malware está frequentemente oculto dentro de aplicativos legítimos, ou são aplicativos Android infectados que burlam os protocolos dos sites de download, e redes domésticas e de pequenas empresas que são atacadas através dos seus roteadores pouco seguros .

“As ameaças não atacam apenas os aparelhos, mas as contas online e os roteadores. Um exemplo recente foi o hackeamento do iCloud onde os cibercriminosos roubaram fotos pessoais de mais de 100 celebridades, incluindo as de Jennifer Lawrence e Kate Upton”, disse Vlcek. “Este ataque aconteceu através das suas contas online e pode muito bem ter sido feito através do hackeamento de um roteador. Não importa qual aparelho você usa, todo o tráfego da internet flui através do seu roteador e, por isso, você precisa ter certeza de que ele é seguro. Você não precisa ser Jennifer Lawrence para sofrer um ataque.

Não utilize mais a proteção antivírus que utilizavam seus pais

A proteção antivírus passou por um longo caminho desde o simples escaneamento de arquivos. O Avast trouxe a proteção antivírus para um altíssimo padrão com atualizações em tempo real e escaneamento do comportamento de arquivos desconhecidos que detectam novas ameaças nunca antes vistas.

O Avast fornece proteção contra os “ataques do mundo real” como Trojans, worms e vírus, além de ataques que venham da internet ou por email. Recebemos a certificação da AV-TEST para produtos de uso doméstico.

O Avast atingiu a perfeição na detecção de malware disseminados e recentemente descobertos (4 últimas semanas), com baixa incidência de falsos positivos. Nossos produtos não causam um impacto significativo no desempenho do computador para os usuários que visitam sites, baixam programas, instalam e rodam aplicativos, copiam arquivos e dados.

Comments off
16, abril, 2015

O Avast realmente protege contra qualquer vírus?

A pergunta que forma o título deste artigo é uma das mais comuns que recebemos via redes sociais, suporte técnico ou que eu ouço durante os churrascos de fim de semana na casa de amigos. Quando um amigo do amigo descobre que eu trabalho na Avast dá para ver os olhos da pessoa brilhando de alegria e dizendo: “ah, agora vou descobrir a verdade”. E entre uma garfada na picanha, um gole na cerveja e uma arrumadinha nos óculos escuros, me questiona sobre o quão seguro o Avast realmente é. Ainda têm aqueles que, no meio da balada de sábado para o domingo, querem saber como tirar um vírus do celular. Mas estes, sinceramente, se receberam alguma resposta não quero nem saber qual foi…

Avast_Interface

A interface do Avast mostrando a situação do meu PC: será que o Avast realmente protege?

Portanto, vamos ao que interessa.

O sistema de proteção do Avast se dá através da atualização da base de dados de vírus, ou vírus data base. Para entender isso melhor, é importante ter em mente que um vírus ou malware é nada mais do que um código de computador. Um código que pode ser extremamente complexo ou incrivelmente simples, geralmente composto por números, letras e caracteres especiais.

A expressão vírus de computador vem do princípio de que, assim como um vírus que atinge humanos, ele causa danos à alguma parte que torna os movimentos básicos que o PC (ou o ser humano) tem de fazer diariamente através do comando de uma célula. Mas, diferentemente de um caso real de vírus, no mundo digital é mais “fácil” de se criar “vacinas” contra vírus. Basta descobrir qual é o código de letras, números e caracteres especiais criado por um hacker e adicioná-lo à sua data base de vírus. Fácil, não?

Nem tanto! Embora isso possa soar simples, por outro lado é preciso ter em mente que é muito mais fácil de criar e espalhar um vírus de computador do que um que atinja humanos. Portanto, o número de vírus para PCs pode chegar à uma quantidade estratosférica considerando que há milhões de hackers ao redor do mundo trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana para criar novas pragas que atingirão o seu computador.

Como o Avast antivírus combate esta realidade

Para ter certeza de que sua base de dados de vírus está sempre atualizada com os códigos mais recentes, o Avast antivírus conta com o auxílio de 230 milhões de pessoas ao redor do mundo que usam seus produtos. Quando uma ameaça é coletada por um usuário e enviada para o laboratório de vírus da Avast, esta ameaça é analisada e, caso fique comprovado que ela é uma praga, o Avast cria imediatamente uma vacina e envia a mesma a todos os computadores que possuem Avast no mundo simultaneamente.

Embora isso não seja nenhuma novidade, pois vários softwares de antivírus utilizam técnicas similares, o que torna o Avast mais eficiente do que outros produtos de segurança é justamente o fato de que a empresa possui mais de 230 milhões de usuários no mundo (34 milhões só no Brasil), superando qualquer outra companhia do ramo. Ou seja, quando um vírus novo é lançado no mercado ele é rapidamente identificado pelo Avast. Atualmente, o laboratório de vírus da Avast recebe todos os dias cerca de 50 mil amostras de vírus.

Então tá… mas agora me diga, por que meu PC foi infectado mesmo tendo Avast instalado?

Esta pergunta depende muito da maneira como você usa o seu PC. Muitas vezes o Avast informa sobre algum arquivo potencialmente maligno, mas por confiar na origem do mesmo ou acreditar que nada pode acontecer, você acaba aceitando o download, apesar da mensagem de aviso sobre a ameaça.

Outro motivo é que muitos usuários de computador não atualizam seus softwares com frequência, como Java, Skype, programas de acesso bancário, etc. E aí é que está o perigo. Hackers utilizam versões antigas de softwares famosos para realizar o ataque, assim um código novo pode ficar instalado dentro daquele programa e atuar quando menos se espera. E mesmo que o antivírus esteja atualizado, o vírus no programa desatualizado pode abrir espaço para ataques de novas pragas dentro do seu computador e que não foram ainda identificadas pelo antivírus.

Hoje em dia, alguns antivírus possuem um sistema de atualização automática de software, que é o caso do Avast Premier, para ajudar neste processo de segurança.

A verdade é que o antivírus atua como um guardião, mas a proteção de um computador depende majoritariamente do usuário em si. E você? Já atualizou o seu antivírus hoje? Já atualizou seus programas?